Mercado fechado

BR diz que Justiça suspende programa de desligamentos de funcionários em caráter liminar

Por Marta Nogueira

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Justiça do Rio de Janeiro concedeu liminar que suspendeu Programa de Desligamento Optativo (PDO) da BR Distribuidora, iniciado em 9 de novembro, ao atender pedido de sindicato de trabalhadores, informou a distribuidora de combustíveis em comunicado nesta quinta-feira.

Maior empresa do setor de distribuição de combustíveis do Brasil, a empresa informou que foi intimada da decisão proferida pela 67ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, a pedido do Sitramico-RJ, em 19 de novembro.

"A companhia ressalta que está tomando todas as providências cabíveis pelos meios legais e éticos com o objetivo de assegurar os direitos dos funcionários que já se inscreveram no programa, conforme sua opção livre e individual e dentro de seus planos pessoais futuros", disse a empresa.

A BR iniciou o programa de desligamento, dentre outros que também visam a redução de custos, após a Petrobras ter diminuído sua participação na empresa de 71,25% para 37,5% em julho. A petroleira manifestou recentemente intenção de reduzir ainda mais sua participação na distribuidora.

"O Plano de Transformação Organizacional... que integra a agenda de criação de valor da companhia, agora privatizada e, portanto, com um dever e responsabilidade ainda maior de atuar de forma sustentável em mercado altamente competitivo, segue, conforme anunciado", afirmou a companhia.

A BR reiterou que a implantação da nova estrutura organizacional ocorrerá a partir de janeiro, com os ajustes funcionais já em curso e as atividades previstas nas próximas semanas ainda em 2019.