Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,82
    -0,21 (-0,52%)
     
  • OURO

    1.924,10
    -5,40 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    12.904,33
    +1.847,33 (+16,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,26
    +13,37 (+5,46%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.492,05
    -147,41 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    11.631,75
    -59,50 (-0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Ramonismo, Dinizismo, Luxemburguismo, Cinismo, Cartolismo, Burrismo

Mauro Beting
·3 minutos de leitura
Nota oficial e atitude dos clubes são todas iguais - TWITTER DO VASCO
Nota oficial e atitude dos clubes são todas iguais - TWITTER DO VASCO

O Atlético líder com Sampaoli perdeu para o Fortaleza de Rogério Ceni com um a menos no Ceará. Baita resultado de uma das poucas equipes no BR-20 que entregam mais do que o prometido. Palmas para Ceni e seu time. Não palmadas para o Galo que faz muito bem o Brasileirão possível para um novo treinador, elenco e ideia. E que há consegue desempenho e placares muito consistentes.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

O Inter já liderou e agora é segundo. Mas quase que Coudet não chega ao BR-20 pelos Gre-Nais perdidos. Também tem isso. A equipe caiu muito de produção. Oscilação normal também pela perda de Guerrero. Pela não conquista de pontos "ganhos". Pelas alternâncias naturais de uma fase com muitos jogos e não necessariamente muito futebol. Também pela qualidade discutível até dos melhores elencos como o do Inter de temporada muito intensa desde as fases iniciais da Libertadores.

Leia também:

O Flamengo ganhou bem do Sport que se recupera. É o terceiro colocado (com um jogo a menos que o vice-líder). Só agora chega a uma posição próxima do provável para o atual campeão continental e nacional. Com melhor elenco do que em 2019. Mas com futebol ainda abaixo. Tento que Dome já foi espinafrado, cornetado, deportado, criticado além da conta. Ou debitado como se taxa torcedor neste Brasil debilitado que não aprende dar tempo a quem não tem tempo. E muitas vezes outras coisas mais.

O São Paulo é quarto colocado e há meses joga com foices e faixas pedindo a cabeça de Diniz. Eliminado, e por antecipação, na Libertadores desejada. Perdeu gente importante pelo caminho, não ganhou uma cara de time, faz pontos no BR-20 que o futebol jogado não condiz... Mas com Diniz ou sem seria muito diferente? Ele está há um no Morumbi - que é um recorde atual para o clube em seus piores anos, e para o padrão sem padrão do brasileiro idem. Mas isso é bom?

É ótimo. Pelo menos algo muito bom em uma temporada em que o treinador quinto colocado (Luxemburgo) ganhou um Paulistão que seu clube não conquistava desde 2008, ficou 20 jogos sem perder, classificado talvez como melhor campanha mais uma vez da fase de grupos da Liberta, só perdendo três jogos no ano, e ainda assim questionado merecidamente pelo paupérrimo futebol. Aquém de tudo. E dele próprio. Mas é o caso de pedir as contas que não são ruins como o desempenho?

O sexto colocado Fluminense é outro que entrega mais do que promete. Mas com outro treinador (Odair) ameaçado a cada arremesso lateral mal batido por um elenco limitado e que tem sido mais competitivo do que o esperado e esperneado. Mesmo também perdendo gente importante pelo caminho tortuoso. E inevitável.

Basicamente é isso: dos seis primeiros colocados no BR-07, cinco treinadores já tiveram suas cabeças a prêmio. Ou estão mesmo ameaçadas a cada partida. Balançam a cada jogo no macrociclo brasileiro que dura uma rodada.

Não há futebol no mundo que seja assim. Também por isso o nosso futebol não seja mais aquele pelo mundo.

O nível do Brasileirão é muito fraco. O pior que já vi. E não só a pandemia o explica e/ou justifica. Também essa roleta brasileira de ameaças só piora o quadro triste de quadros mal feitos, treinados e jogados. Também pela falta de um cavalete de apoio para sustentar treinos, ensaios, esboços e projetos. Bons ou não. Ou sem tempo para serem testados e treinados.

Enquanto seguirmos mandando treinadores embora depois de 6 jogos como Thiago Larghi no Goiás, inibiremos a chegada de bons e promissores nomes como Ramon de Menezes no Vasco. Apesar das oscilações mais do que aguardadas agora, vai fazendo um Brasileiro bastante interessante, em momentos excelente pelas limitações em campo e fora dele, devolvendo ao torcedor vascaíno um pouco de esperança, confiança e...

COMO??!!

A DIREÇÃO DO VASCO MANDOU EMBORA O RAMON?

Ah, chega.

Volto quando der.

Tô fora. Como treinador no Brasil, não dá pra ficar falando racionalmente quando não existem sinapses que se sustentem.

Vão se lascar.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos