Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.228,09
    -41,98 (-0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    55.189,34
    +317,98 (+0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,11
    +0,96 (+1,20%)
     
  • OURO

    1.929,80
    -12,80 (-0,66%)
     
  • BTC-USD

    23.015,51
    +110,47 (+0,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    522,92
    -4,27 (-0,81%)
     
  • S&P500

    4.060,43
    +44,21 (+1,10%)
     
  • DOW JONES

    33.949,41
    +205,57 (+0,61%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    +16,24 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    22.566,78
    +522,13 (+2,37%)
     
  • NIKKEI

    27.362,75
    -32,26 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    12.079,50
    +206,25 (+1,74%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5230
    -0,0158 (-0,29%)
     

Bowman diz que mais altas de juros do Fed são necessárias para conter a inflação alta

Michelle Bowman, diretora do Fed

Por Michael S. Derby

NOVA YORK (Reuters) - A diretora do Federal Reserve Michelle Bowman disse nesta terça-feira que o banco central norte-americano terá que elevar ainda mais os juros para conter a inflação alta, o que deve levar a condições mais brandas no mercado de trabalho.

“A inflação está muito alta” e, embora haja alguns sinais de que começou a diminuir, “temos muito mais trabalho a fazer” para reduzir as pressões sobre preços dos níveis atuais de volta para 2%, disse Bowman segundo declarações preparadas para discurso a um grupo bancário na Flórida.

A autoridade disse que espera que o Comitê Federal de Mercado Aberto, que define os juros, “continue elevando a taxa para apertar a política monetária, como declaramos após nossa reunião de dezembro”, observando que o ritmo das ações futuras será impulsionado pelo desempenho da economia.

O Fed elevou os juros em sua reunião no mês passado em 0,5 ponto percentual, deixando sua taxa entre 4,25% e 4,5%. O banco indicou novos aumentos para cerca de 5,1% em 2023. As autoridades do Fed argumentaram amplamente que, assim que terminarem de aumentar os juros, precisarão mantê-los altos para reduzir a inflação. Bowman concordou com essa postura em seus comentários.

“Assim que atingirmos uma taxa de juros suficientemente restritiva, ela precisará permanecer nesse nível por algum tempo para restaurar a estabilidade de preços, o que, por sua vez, ajudará a criar condições que sustentem um mercado de trabalho forte”, disse Bowman. Mas ela acrescentou que o mercado de trabalho – o próprio Fed vê um aumento no desemprego em 2023 – será pressionado pelo que o Fed precisa fazer.

Até agora, o desemprego permaneceu baixo diante da ação do Fed, disse Bowman, observando que “tomo isso como um sinal de esperança de que podemos conseguir reduzir a inflação sem uma desaceleração econômica significativa”. A autoridade acrescentou que “embora os efeitos do aperto da política monetária no mercado de trabalho tenham sido em geral limitados até agora, a desaceleração da economia provavelmente significará que a criação de empregos também desacelera”.

Muitos observadores estão preocupados que a ação do Fed para reduzir a inflação cause muita dor no mercado de trabalho, e muitos economistas acreditam que as ações do Fed podem levar a economia a uma recessão. Autoridades do Fed responderam que, sem estabilidade de preços, a economia não pode atingir todo o seu potencial.