Bovespa fecha em alta de 0,44%, após 3 baixas seguidas

O mercado acionário brasileiro interrompeu a trajetória de queda dos três últimos pregões em uma sessão marcada pela apatia nesta quarta-feira. O Ibovespa oscilou pouco, em razão do entusiasmo contido de investidores para se posicionarem nas ações domésticas. Recuaram Petrobras, Vale, Usiminas e bancos, papéis de grande participação no índice, enquanto subiram JBS, Oi e Klabin.

O Ibovespa terminou o dia com ganho de 0,44%, aos 61.966,26 pontos. Na mínima, registrou 61.543 pontos (-0,24%) e, na máxima, 61.964 pontos (+0,44%). No mês, acumula ganho de 1,66%. O giro financeiro totalizou R$ 5,9 bilhões. Os dados são preliminares.

O mote da sessão era a votação, pela Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, do projeto republicano que estende até meados de maio o teto da dívida norte-americana, estipulado em US$ 16,4 trilhões. À tarde, os deputados aprovaram o plano que suspende o limite legal de endividamento do governo do país por três meses. Para se tornar lei, o projeto precisa de aprovação do Senado e de sanção do presidente Barack Obama. A aprovação dará tempo para que o governo Obama e o Congresso negociem um pacote orçamentário de longo prazo.

Mesmo assim, a Bovespa passou a tarde toda quase sem sair do lugar. As blue chips caíram: Vale ON (-0,73%), Vale PNA (-0,23%), Petrobras ON (-0,35%) e Petrobras PN (-0,15%). Na direção contrária, OGX ON avançou 4,19%, JBS ON ganhou 6,36% e Klabin PN teve valorização de 4,55%.

No setor bancário, Bradesco PN perdeu 1,46%, Itaú Unibanco PN teve baixa de 1,38%, Banco do Brasil ON cedeu 0,55% e Santander Unit recuou 1,41%.

Carregando...