Bovespa encerra em queda antes do vencimento de opções

Em um pregão marcado por oscilações limitadas, o Ibovespa variou apenas 572 pontos da pontuação máxima para a mínima do dia e, ao fim da sessão, indicou queda de 0,38%, aos 61.956,14 pontos. Os dados da China, que mostraram crescimento robusto do gigante asiático, foram insuficientes para impulsionar as Bolsas globais. No Brasil, a Bovespa foi influenciada também pela proximidade do vencimento de opções sobre ações, na segunda-feira (21), que pesou sobre os papéis de companhias como a Vale.

Na máxima, o Ibovespa marcou 62.395 pontos (+0,32%) e, na mínima, 61.822 pontos (-0,60%). O giro financeiro foi de R$ 6,8 bilhões. Perto do fechamento no Brasil, o índice Dow Jones tinha leve alta de 0,10%, o S&P avançava 0,04% e o Nasdaq tinha baixa de 0,25%.

A letargia vista também no exterior foi resultado de uma agenda relativamente fraca e do pouco ânimo dos investidores com os dados da China, divulgados durante a madrugada. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês subiu 7,9% no quarto trimestre do ano passado, acima de expectativa de alta de 7,8%, e a produção industrial avançou 10,3% em dezembro, dentro do esperado. Já as vendas no varejo subiram 15,2% ante o mesmo mês do ano anterior.

"A Bovespa acabou pesando durante o pregão, um pouco com a piora do mercado externo, apesar dos números da China terem vindo bons", comentou o analista João Pedro Brugger Martins, da Leme Investimentos. "O número de confiança do consumidor dos Estados Unidos também veio ruim, mas não acredito que tenha influenciado tanto os negócios no Brasil." Pela manhã, a Universidade de Michigan informou que o índice de sentimento do consumidor caiu para 71,3 na leitura preliminar de janeiro, o menor nível em mais de um ano.

No cenário interno, chamou novamente a atenção o desempenho da Vale, que recuou 0,90% nos papéis ON e 1,38% nos PNA. Para Brugger, as declarações do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, de que o governo deverá manter a posição de cobrar R$ 4 bilhões da Vale, referentes a royalties sobre mineração, pressionaram as ações da companhia. Operadores também citaram a queda do preço do minério de ferro no mercado internacional e a proximidade do vencimento de opções sobre ações na próxima sessão.

"A queda da Vale está muito em cima da briga no mercado pelo vencimento de opções. Ainda há disputa em algumas opções de Vale e isso pesou", comentou um dos profissionais. "No fim de semana, também podem surgir notícias sobre reajustes de combustíveis, o que pode acirrar a disputa em Petrobras na segunda-feira", acrescentou. Os papéis ON da petrolífera fecharam em queda de 0,80%, enquanto os PN recuaram 0,66%.

A opção é um contrato que confere ao portador o direito de compra ou venda de um ativo a um preço predeterminado. O vencimento de opções é a data de validade desses contratos. A partir do dia seguinte, o detentor da opção não pode mais exercê-la. Por isso, no dia de vencimento das opções e nos dias imediatamente anteriores, o movimento da Bolsa pode sofrer distorções, com os investidores atuando de forma tal que os preços das ações se aproximem daqueles valores que mais os favorecem quando a opção for exercida.

Com o desempenho desta sexta-feira, o Ibovespa ficou pouco abaixo dos 62 mil pontos - perto de resistência importante para que a Bolsa siga para patamares maiores. Cálculos da CGD Securities indicavam, no início do dia, resistência gráfica nos 62.340 pontos e, depois disso, nos 63.250 pontos.

Carregando...