Bovespa em alta atenta a China e Grécia

A Bovespa tenta manter o otimismo na abertura desta segunda-feira, graças a bons sinais vindos da economia chinesa, com o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês), e ao plano de recompra de títulos da Grécia de 10 bilhões de euros. Fora isso, a bolsa paulista foca mais dados que saem no exterior, entre eles números sobre o emprego nos Estados Unidos, na sexta-feira. O investidor também não deve desgrudar das notícias sobre abismo fiscal dos EUA, na medida em que se aproxima o prazo para que o Congresso chegue a um acordo.

No front corporativo brasileiro, as elétricas seguem no radar, na véspera do prazo limite para que os concessionários do setor assinem ou não os novos contratos de renovação nos termos da proposta da Medida Provisória 579. Nesta segunda-feira, o governo publicou decreto que garante às empresas de geração uma indenização extra pelos investimentos feitos ao longo dos contratos antigos, e que ainda não tinham sido contabilizados.

Às 10h48, o Ibovespa subia 1,00%, aos 58.047,49 pontos

Faltam apenas 28 dias para que entrem em vigor uma série de cortes de gastos e aumento de impostos nos EUA e esta semana, o presidente dos EUA, Barack Obama, se encontra com governadores e fará um discurso sobre o abismo fiscal em um evento da Mesa Redonda de Empresas. Neste domingo (2), o secretário do Tesouro americano, Timothy Geithner, previu que os republicanos aceitarão impostos mais altos sobre os mais ricos para alcançar um acordo em torno do orçamento do país.

Na agenda americana de hoje, o destaque é Índice ISM de atividade industrial de novembro, que sai às 13h. Na sexta-feira, saem dados de criação de empregos em novembro, o payroll, e a expectativa é de que tenham sido criadas 75 mil vagas, bem abaixo dos 171 mil de outubro e de que a taxa de desemprego siga inalterada em 7,9%. Caso a estimativa se confirme, será o menor nível de criação desde junho, afetado pela passagem do furacão Sandy pelo país.

Na China, o índice HSBC dos gerentes de compras atingiu a máxima em 13 meses, de 50,5 em novembro, ante 49,5 em outubro, sinalizando expansão da atividade manufatureira. Já a Grécia anunciou um plano para recomprar até 10 bilhões de euros (US$ 13 bilhões) em bônus do governo em circulação e após a notícia o retorno ao investidor (yield) dos bônus com vencimento em 2023 caía mais de 1 ponto porcentual, para 14,94%.

Neste domingo (2), a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, admitiu a possibilidade de um desconto ou "haircut" da dívida grega nos próximos anos. "Se a Grécia conseguir gerenciar sua receita sem cair em novas dívidas um dia, então devemos analisar a situação. Não é o caso antes de 2014/15 se tudo correr conforme o planejado", disse a chanceler ao jornal Bild am Sonntag.

Em tempo: a saída das ações da Redecard é a única alteração na primeira prévia da carteira teórica do Ibovespa que será válida para o período de janeiro a abril de 2013 em relação à carteira atual.

Carregando...