Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.478,03
    +2.582,54 (+4,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Bots musicais do Discord começam a se adaptar para evitar tretas com o Google

·4 minuto de leitura

Primeiro foi o Groovy, depois, o Rythm e, agora, sob a tensão de serem os próximos alvos do Google, diversos bots musicais do Discord começam a retirar funções associadas ao YouTube. Dois populares robôs “toca músicas” — Chip e Hydra — não suportam mais músicas puxadas da plataforma de streaming da gigante.

“Devido aos eventos recentes, fomos forçados a tomar uma ação imediata e, portanto, removemos o suporte da plataforma YouTube”, diz pronunciamento do Hydra.

O bot Hydra não mais reproduz músicas puxadas do YouTube, mas continua puxando faixas do Spotify e do SoundCloud(Imagem: Reprodução/Hydra Bot)
O bot Hydra não mais reproduz músicas puxadas do YouTube, mas continua puxando faixas do Spotify e do SoundCloud(Imagem: Reprodução/Hydra Bot)

O líder de projeto, conhecido no Discord como Xavin, esclarece para o Canaltech que a decisão foi “para evitar a ordem de 'cessar e desistir' do YouTube”. O programador pretende continuar com o trabalho no bot e, se o temido pedido de cessar atividade por parte do Google chegasse até ele, seria extremamente arriscado manter o projeto.

Seguindo a mesma estratégia, o bot Chip também deixou de reproduzir músicas puxadas de endereços do YouTube. No lugar da faixa, o robô apenas esclarece que os links da plataforma do Google não são mais suportados e, como alternativa, o usuário pode optar por outros lugares, como Spotify e SoundCloud.

O futuro sem música do Discord

Para Xavin, a reprodução de música não vai durar muito tempo no Discord. “Para ser honesto, não acho que música como está hoje tem mais um grande futuro no Discord e seríamos estúpidos se continuássemos como se nada tivesse acontecido”, disse em entrevista ao CT. A notificação do Google para Groovy e Rythm serviu como aviso para a equipe do Hydra, e por isso era necessário buscar alternativas e jogar segundo as regras da dona do YouTube.

Na ação do Google, Groovy e Rythm serviram de exemplo para os demais bots da plataforma. Mesmo que a Gigante das Pesquisas não corra atrás de projetos menores, eles estarão sempre sob a tensão de que a companhia os alcançará em algum momento — e talvez com notificações até piores, dependendo das circunstâncias. Outros serviços que normalmente servem como base para reprodução de música no Discord, como Spotify e SoundCloud, ainda não partiram à caça dos "toca músicas", então retirar as funcionalidades associadas ao YouTube deve ser suficiente para manter a atividade dos robôs por enquanto.

Assim como o Rythm, o Hydra também tem planos para expandir suas funcionalidades, mas pretende “mudar de direção” e atuar fora do ramo musical. O desenvolvedor não quis comentar sobre os planos do projeto, mas há boas ideias em construção para o bot.

Ainda existem robôs no Discord com músicas puxadas do YouTube, mas, devido o frescor dos eventos, a retirada de funções pode ainda estar em construção. Até a data da elaboração desta matéria, o YouTube não atingiu nenhum outro bot com a fatídica carta — ao menos isso não se tornou público.

Preparação de terreno?

A retirada de robôs musicais do Discord parece inesperada, mas talvez o Google e o Discord estejam preparando algo ainda não divulgado. Em novembro de 2020, um recurso ainda não lançado que unia a plataforma de comunicação, o YouTube e jogos "sociais" — tabuleiro, cartas e derivados — foi divulgada no Reddit e, desde então, sumiu do mapa.

A função permitiria escutar músicas em conjunto com amigos, enquanto o canal joga cartas em uma mesma sessão (Imagem: Reprodução/Discord)
A função permitiria escutar músicas em conjunto com amigos, enquanto o canal joga cartas em uma mesma sessão (Imagem: Reprodução/Discord)

Sabe-se, porém, que a atuação de bots com música do YouTube contornava uma das principais fontes de renda da plataforma: os anúncios. Um usuário pode reproduzir playlists inteiras sem se deparar com propagandas, tampouco lidar com intervalos entre faixas, bem como faria um assinante do YouTube Premium.

Sem alternativas, servidores do Discord podem logo ficar mais silenciosos — a não ser que o Discord esteja com uma carta na manga. Atualmente, a plataforma conta com um modelo de assinatura voluntária chamada Discord Nitro, que oferece vantagens variadas para os usuários pagantes. Há a possibilidade de a reprodução irrestrita de músicas do YouTube passe a ser algo exclusivo de servidores apoiados financeiramente, garantindo parte assim do bolo também para a Gigante das Pesquisas, mas não existe nenhuma confirmação nesse sentido.

Em contato com o Canaltech, o Google esclareceu que as medidas foram tomadas em conformidade com os Termos de Serviço do YouTube. "Depois de notificados sobre uma violação, investigamos e tomamos as medidas necessárias. Notificamos a Groovy e a Rhythm sobre violações de nossos Termos de Serviço, incluindo a modificação no serviço e seu uso para fins comerciais", disse um porta-voz. A reportagem também entrou em contato com o Discord, que não se manifestou até o fechamento do texto — caso haja um posicionamento por parte do serviço de mensagens, a publicação será atualizada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos