Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.249,73
    +1.405,98 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.828,13
    +270,48 (+0,53%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.775,10
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    40.673,39
    -2.092,17 (-4,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.016,33
    -47,52 (-4,47%)
     
  • S&P500

    4.354,19
    -3,54 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    33.919,84
    -50,63 (-0,15%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    14.993,50
    -30,50 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1781
    -0,0010 (-0,02%)
     

Botafogo vence o Vasco por 2 a 0, ultrapassa rival na tabela e reafirma briga pelo acesso

·2 minuto de leitura

No primeiro clássico entre Botafogo e Vasco na Série B, as equipes protagonizaram neste sábado à noite um jogo com muita luta, mas pouca inspiração em campo. No Estádio Nilton Santos, o Glorioso precisou de menos de dois minutos após o apito inicial para fazer o primeiro gol, que abriu a vitória, e precisou de menos de 40% de posse de bola para garantir os três pontos que o colocaram definitivamente na briga pelo acesso — inclusive ultrapassando o rival.

Pilhado e muito bem postado em campo no início do jogo, o alvinegro conseguiu, logo de cara, pressionar o cruz-maltino, que, surpreendido pela pressão, se mostrou acuado. Numa das primeiras subidas do jogo, Guilherme Santos aproveitou a marcação frouxa do adversário pela esquerda, fez boa jogada, tabelou com Diego Gonçalves e cruzou para Chay, livre de marcação, empurrar para o fundo do barbante.

Fato é que o time do Botafogo, com grande obediência tática, conseguia — mesmo que sem qualquer exuberância em campo —, deixar a bola com o rival sem correr grandes riscos. Mais que isso: com um Vasco que, durante todo o jogo mostrava-se atrapalhado no ataque e completamente desorganizado na defesa, era muito mais perigoso quando chegava — a exemplo do que aconteceu na última semana, pela Copa do Brasil, no duelo contra o São Paulo.

Mais uma vez, o técnico Lisca demorou a mexer no time. A improvisação de MT na lateral esquerda não funcionou e Marquinhos Gabriel, mais uma vez, pouco participou do jogo, e não conseguia se aproximar para criar jogadas nem com Morato, pela direita, nem com Léo Jabá, pela esquerda. A dupla de pontas também esteve apagada. Do outro lado, Kanu e Gilvan faziam uma partida muito segura na zaga.

E foi exatamente com o Botafogo envolvendo o time de São Januário em sua estratégia que, após uma cobrança de falta ruim de Gabriel Pec na barreira, já aos 43 minutos, a bola sobrou para Oyama. Em velocidade, ele lançou para Diego Gonçalves, que coroou o esforço decidindo de vez o clássico: 2 a 0. O gol valeu o 9º lugar ao Botafogo, que passou o Vasco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos