Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.085,66
    -1.007,68 (-1,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Botafogo tenta ser certeiro no mercado e tornar sua equipe ofensiva para a disputa da Série B

Vinícius Faustini
·2 minuto de leitura


O Botafogo esbarra em alguns desafios para se consolidar até a disputa da Série B. Enquanto tenta digerir a eliminação da Copa do Brasil e a frustração de estar sem chances de ir às semifinais do Carioca, a cúpula alvinegra volta suas atenções para melhorar a pontaria da equipe de Marcelo Chamusca.

Mesmo lidando com redução na folha salarial, o Alvinegro já volta suas atenções para contar com um centroavante experiente. De acordo com o site "Goal.com", Rafael Moura deve se reunir ainda nesta semana com a diretoria do Botafogo.

A reportagem do site diz que He-Man vê com bons olhos vestir a camisa alvinegra na disputa da Série B. Porém, a negociação passará por um desafio: chegar a um acordo para o salário conforme os padrões do clube. O diretor de futebol do Botafogo, Eduardo Freeland, alerta.

- Todos temos que ter comprometimento. Todos os esforços estão sendo feitos. Sabemos que deverá haver mais cortes e isso significa saúde financeira para que reforços possam vir - garantiu o dirigente, em pronunciamento divulgado pela Botafogo TV no último domingo.

Das 123 finalizações no Campeonato Carioca, a equipe de Marcelo Chamusca acertou apenas 34 na direção do gol. O fraco aproveitamento é de 27,6%. Os índices fazem com que o comandante exija maior cobrança neste fundamento.

- É uma situação recorrente, a falta de eficiência. Precisamos chutar muito para conseguir concluir em gol. No aspecto técnico, precisamos melhorar a tomada de decisão - e ressaltou:

- Também tem o aspecto emocional, o jogador estar ansioso. Em alguns jogos, temos bons números de finalizações, mas erramos muito - completou.

O período mais extenso de treinos surge como uma salvação para que os alvinegros consigam se reencontrar.

- Planejamento é aproveitar ao máximo o período de treinamentos que vamos ter, acreditamos muito na evolução que é necessária no âmbito individual e principalmente coletivo - destacou Freeland.

Seja no mercado ou dentro de campo, o Botafogo precisa ser ainda mais certeiro nesta sua preparação para a Série B.