Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.648,72
    -214,01 (-0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Botafogo joga o suficiente para vencer o frágil Confiança e quase se complica após expulsão do estreante Enderson Moreira

·3 minuto de leitura

Se em campo, na tarde deste sábado, o Botafogo mais uma vez não conseguiu desempenhar o futebol que a torcida espera – sobretudo contra um adversário frágil como é o lanterna Confiança –, pelo menos a equipe deixa para trás o peso das últimas duas derrotas na Série B com a vitória magra por 1 a 0 fora de casa, na Arena Batistão, no Sergipe, que coloca o time na 11ª posição. Na estreia do técnico Enderson Moreira – expulso no início do segundo tempo por conta de um destempero com o quarto árbitro –, ainda não foi possível notar grandes novidades em relação à forma de jogar da equipe. No entanto, restou claro que há uma ainda sutil evolução em temos de organização e solidez defensiva.

Apesar de tecnicamente muito ruim e com um gramado pesado, castigado pela chuva, o jogo começou aberto, principalmente por conta de seguidos erros de saída de bola de ambas as equipes, que pareciam nervosas nos primeiros minutos. O Confiança, jogando em casa, propôs o jogo, enquanto o Botafogo claramente adotava a estratégia de esperar para partir nos contra-ataques. E foi assim que o Glorioso, mesmo tendo menos posse e chegando menos vezes à área adversária, levou muito mais perigo e teve chances claras de gol durante a primeira etapa: a primeira quando Warley desperdiçou ao ficar cara a cara com o goleiro. A segunda, numa cabeçada de Diego Gonçalves, que subiu sozinho, mas tirou demais do goleiro. E a tônica continuou a mesma. O Confiança tinha a bola e pressionava, com triangulações rápidas, mas que careciam de objetividade, até que, já nos acréscimos do primeiro tempo, numa das raras chegadas do alvinegro, a zaga do Dragão sergipano se atrapalhou, espanou o taco e a bola sobrou para o jovem volante Romildo que, com a frente livre, acertou um chute forte e marcou o seu primeiro gol como profissional, sem chances para o goleiro Rafael Santos.

O gol no fim do primeiro tempo contribuiu para que as estratégias das duas equipes ficassem ainda mais claras. O Botafogo esperava, com a marcação encaixada, em busca de uma bola para matar o jogo, enquanto o Confiança, desesperado pela posição na tabela e por mais uma derrota dentro de casa na competição, se lançou ao ataque. No início da segunda etapa, a equipe carioca se aproveitou bem do nervosismo do adversário, que tentava ensaiar uma pressão. Na frente, Marco Antônio e Rafael Navarro cresceram e levaram muito perigo à defesa sergipana.

A história do jogo mudou e poderia ter terminado mal para o Botafogo quando, aos 15 minutos da etapa final, o estreante técnico Enderson Moreira disparou ofensas contra o quarto árbitro, chamando-o de despreparado por não estar com o rádio funcionando à beira do campo. Muito nervoso, ele recebeu dois cartões amarelos e teve que deixar o gramado.

A confusão envolvendo o técnico pareceu ter esfriado o jogo e mexido com a cabeça dos jogadores do Glorioso. O Confiança cresceu no jogo e já conseguia fazer jogadas de maior profundidade, chegando principalmente com o meia Daniel Penha e com o atacante Tiago Reis, emprestado pelo Vasco, que desperdiçou algumas oportunidades. A coisa ficou ainda mais difícil quando Warley recebeu o segundo cartão amarelo e também foi expulso, após entrada no atacante Luidy. Com um a menos, o Botafogo se fechou e passou por um sufoco no fim do jogo que poderia ter sido evitado – o goleiro Diego Loureiro, já nos acréscimos, defendeu um chute forte de Penha, em cobrança de falta, que levou muito perigo e poderia ter mudado a sorte do alvinegro.

Com a vitória, o Glorioso abre quatro pontos à frente do Z-4 da Série B e se aproxima mais um pouco do sonhado G-4, agora sete pontos distante. O próximo compromisso do Botafogo na compeetição é na próxima terça-feira (27), em jogo atrasado da 6ª rodada, contra o CSA em casa, no Estádio Nilton Santos. Na sequência, pega o Vasco, também no Niltão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos