Mercado abrirá em 2 hs
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,35
    +0,50 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.783,60
    +6,20 (+0,35%)
     
  • BTC-USD

    34.016,28
    +2.401,55 (+7,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    813,96
    +19,63 (+2,47%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.112,15
    +22,14 (+0,31%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.874,89
    -9,24 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.275,25
    +17,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9546
    +0,0348 (+0,59%)
     

Bosch busca ajudar a aliviar escassez de chips com nova fábrica

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Robert Bosch inaugurou uma fábrica de chips de 1 bilhão de euros (US$ 1,2 bilhão) que, pouco a pouco, deve ajudar a aliviar o aperto da oferta e indica mais iniciativas da Europa para se tornar menos dependente das importações da Ásia ou dos Estados Unidos.

Os primeiros semicondutores produzidos na fábrica, localizada nos arredores da cidade de Dresden, na Alemanha, serão usados em ferramentas elétricas no próximo mês, e a produção para autopeças foi acelerada em três meses, para setembro, disse a Bosch na segunda-feira antes da cerimônia de inauguração da fábrica.

“Não há solução rápida, pois aumentar a produção leva tempo”, disse Harald Kroeger, membro do conselho da Bosch, em entrevista por telefone. “Mas a nova fábrica certamente ajuda a liberar outra capacidade: cada chip é um bom chip.”

Os gargalos de oferta de semicondutores já afetavam a produção em vários segmentos quando um incêndio em uma fábrica japonesa e tempestades de inverno no Texas agravaram a escassez no início deste ano. Os problemas afetaram produtores de eletrônicos, veículos e outros bens e expuseram a fragilidade das cadeias de suprimentos globais. A União Europeia é particularmente vulnerável e estabeleceu como meta produzir pelo menos 20% da oferta mundial em uma base de valor até o final da década.

“Se um grande bloco como a UE não está em posição de produzir microchips, não me sinto confortável com isso”, disse a chanceler Angela Merkel durante discurso virtual no mês passado, em conferência organizada por institutos de pesquisa da Alemanha. “Se somos uma nação automobilística, não é muito bom não poder produzir o componente principal.”

O Ministério Federal de Economia da Alemanha forneceu cerca de 140 milhões de euros em ajuda à fábrica da Bosch.

A fábrica da Bosch em Dresden atenderá clientes do mundo todo, disse Kroeger. A gigante alemã de engenharia espera que a demanda global por semicondutores cresça 11% este ano, para um volume de mercado de mais de 400 bilhões de euros.

“É extremamente importante para a Europa criar um contrapeso” à posição atualmente dominante dos fabricantes de chips asiáticos, disse Kroeger, porque os componentes de semicondutores executam funções críticas nos carros. Sistemas sofisticados de assistência de direção, recursos de entretenimento informativo e trens de força elétricos devem se expandir nos próximos anos.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos