Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +0,51 (+0,61%)
     
  • OURO

    1.797,80
    +1,50 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    61.938,07
    +774,37 (+1,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,43 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.524,72
    -280,13 (-0,97%)
     
  • NASDAQ

    15.335,00
    -6,00 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5789
    -0,0019 (-0,03%)
     

Boom de fusões e aquisições deve durar anos, diz Deutsche Bank

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A onda recorde de fusões e aquisições globais está só começando, de acordo com um dos principais executivos do Deutsche Bank na área.

Most Read from Bloomberg

“Vejo a atividade atual como o início de um ciclo ascendente de vários anos em fusões e aquisições”, disse em entrevista Berthold Fuerst, corresponsável global da unidade de fusões e aquisições do banco alemão. “O que vejo é uma atividade elevada nos próximos anos.”

O valor dos acordos globais encerrou o terceiro trimestre em US$ 3,8 trilhões, segundo dados da Bloomberg. Com isso, o volume em 2021 está a apenas algumas centenas de bilhões de dólares de ultrapassar o recorde anual de US$ 4,1 trilhões estabelecido em 2007.

As transações em tecnologia lideram à medida que empresas de todos os setores adaptam seus negócios para a era digital. Esse objetivo de obter acesso à tecnologia disruptiva por meio de aquisições tem estimulado a atividade na faixa de US$ 1 bilhão a US$ 10 bilhões, uma tendência que deve se manter, segundo Fuerst.

Ele destaca que a confiança na busca por fusões e aquisições continua alta entre conselhos de administração, apesar da perspectiva de redução do estímulo de bancos centrais, aumento das taxas de juros e efeitos indiretos da pandemia, como choques nas cadeias de suprimentos globais.

Outro fator é o foco do mundo corporativo na melhoria dos padrões ambientais, sociais e de governança, ou ESG na sigla em inglês, inclusive por meio da transição para formas mais verdes de energia. Na semana passada, o Deutsche Bank nomeou Khaled Fathallah para liderar um novo grupo de transição energética.

“O complexo ESG está alimentando o mercado de fusões e aquisições”, disse Fuerst. “Novos mercados estão surgindo. É uma oportunidade para as empresas reinvestirem e realocarem capital em áreas que estão mais em conformidade com o ESG.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos