Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    46.528,37
    +457,21 (+0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Boom de criptomoedas é ‘mania especulativa’, diz Banco do Canadá

Shelly Hagan
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Uma autoridade do Banco do Canadá chamou o salto recente dos preços das criptomoedas de “mania especulativa” e disse que tais ativos não têm as qualidades para se tornarem o dinheiro do futuro.

Em discurso sobre “inovação em pagamentos”, o vice-presidente do banco central canadense, Tim Lane, disse que métodos de verificação caros e poder de compra instável tornam criptomoedas como o Bitcoin um método de pagamento “falho”.

“O recente aumento dos preços parece menos uma tendência e mais uma mania especulativa, uma atmosfera em que um tuíte de alto perfil é suficiente para desencadear um salto repentino dos preços”, disse Lane na quarta-feira.

Bancos centrais ao redor do mundo buscam se familiarizar com as tecnologias de pagamento emergentes. Além das criptomoedas, iniciativas do setor privado, como o projeto do Facebook, aumentam a urgência do debate sobre como as moedas digitais devem ser tratadas.

O Banco do Canadá analisa há vários anos quais circunstâncias podem levar o país a decidir pela emissão de uma moeda digital como forma de contingência caso seja necessário. Em seu discurso, Lane disse que a transição para as atividades online impulsionada pela pandemia levou o banco central a acelerar esses esforços.

“Nossa visão permanece a mesma: uma moeda digital não é uma conclusão precipitada”, disse Lane. “Dito isso, o mundo está mudando ainda mais rápido do que esperávamos.”

O Banco do Canadá tem monitorado cenários em que pode decidir emitir sua própria moeda digital. Por exemplo, se o uso de dinheiro for restringido ou eliminado ou se ativos privados semelhantes ao dinheiro ganharem muito espaço.

As chamadas stablecoins - cujo valor está atrelado a algum ativo externo - podem ser mais estáveis do que as criptomoedas, disse Lane. Mas, se de fato houver demanda por esses ativos semelhantes ao dinheiro, a emissão deve ficar a cargo dos bancos centrais, afirmou

“Somente um banco central pode garantir total segurança e acesso universal, e com o interesse público - não os lucros - como prioridade máxima”, de acordo com Lane. “Só emitiremos esse tipo de moeda se e quando for a hora certa.”

Para avançar os estudos sobre uma moeda digital, o banco central canadense colabora com projetos de três equipes universitárias de forma independente. Dados das pesquisas serão divulgados na quinta-feira e ajudarão na avaliação da instituição, disse Lane.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.