Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    -0,13 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    39.144,54
    +3.300,66 (+9,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,87 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    -1,50 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1918
    +0,0383 (+0,62%)
     

Bomba em escola afegã deixa pelo menos 68 mortos

·1 minuto de leitura

CABUL (Reuters) - O número de mortos em um ataque a bomba do lado de fora de uma escola na capital afegã, Cabul, subiu para 68, disseram autoridades neste domingo, com médicos lutando para cuidar de 165 feridos e famílias procurando desesperadamente por crianças desaparecidas.

Explosões na noite de sábado abalaram o bairro de Dasht-e-Barchi, lar de uma grande comunidade de xiitas da minoria étnica Hazara que foi alvo no passado pelo Estado Islâmico, um grupo militante sunita.

Um carro-bomba foi detonado em frente à escola Sayed Al-Shuhada e mais duas bombas explodiram quando os alunos saíram correndo em pânico.

As autoridades disseram que a maioria dos mortos eram estudantes. Algumas famílias ainda procuravam hospitais para seus filhos.

"A primeira explosão foi poderosa e aconteceu tão perto das crianças que algumas delas não puderam ser encontradas", disse uma autoridade afegã, pedindo anonimato.

Uma testemunha ocular disse à Reuters que todas as vítimas, exceto sete ou oito, eram estudantes que iam para casa depois de concluírem seus estudos.

No domingo, civis e policiais recolheram livros e mochilas escolares espalhados por uma estrada manchada de sangue.

O presidente Ashraf Ghani no sábado culpou os insurgentes do Taleban, mas um porta-voz do grupo negou envolvimento e condenou qualquer ataque a civis afegãos.

O Papa Francisco classificou o ataque como um "ato desumano" em declarações aos peregrinos na Praça de São Pedro, na Cidade do Vaticano, neste domingo.

(Redação de Cabul)