Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.915,16
    -28,92 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Bolsonaro volta a dizer que inflação sobe no mundo inteiro, mas alta é maior no Brasil

·1 min de leitura

RIO — O presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer nesta sexta-feira que a inflação é um problema mundial e citou o Reino Unido como exemplo de país que enfrenta a alta do indicador. No entanto, as estatísticas mostram que o Brasil é um dos países do globo onde os preços ao consumidor mais subiram neste ano.

A declaração do presidente foi feita em entrevista coletiva concedida ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, um dia após a debandada de secretários da equipe de Guedes.

Previsão recente feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) aponta que o Brasil terá, em 2021, uma inflação que é o dobro da média do G-20, grupo que reúne os principais países ricos e os grandes emergentes.

A OCDE prevê uma inflação média mundial de 3,7% e, para o Brasil, uma alta de preços de 7,2%. No entanto, o próprio governo brasileiro tem uma estimativa mais pessimista e prevê a inflação em 8,4% este ano.

Nos 12 meses encerrados até setembro, a inflação calculada pelo IBGE é de 10,25%

O relatório da OCDE, de setembro, prevê que só Argentina, com alta de 47%, e a Turquia, com 17,8%, terão inflação pior do que no Brasil neste ano.

Na zona do euro, a previsão é de uma alta de só 2,1% dos preços. E, nos EUA, de 3,6%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos