Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    12.963,88
    +67,29 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

Bolsonaro responde a Biden sobre queimadas e diz que não aceita 'subornos' ou 'ameaças'

João de Mari
·2 minutos de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro scratches the side of his head during a ceremony at the Planalto Presidential Palace, in Brasilia, Brazil, Monday, Dec. 2, 2019. Brazilian President Jair Bolsonaro's U.S.-focused foreign policy efforts have suffered a setback after Donald Trump threatened to impose tariffs on steel and aluminum on the South American nation. (AP Photo /Eraldo Peres)
Biden falou que o Brasil está queimando a Amazônia e, se não parar, haverá consequências econômicas significativas (Foto: AP Photo /Eraldo Peres)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reagiu a declaração do candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre queimadas na Amazônia, afirmando que não aceita “subornos” ou “infundadas ameaças”. O candidato norte-americano disse, nesta terça-feira (29), que poderia organizar US$ 20 bilhões para a Amazônia junto a outros países.

“O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. NOSSA SOBERANIA É INEGOCIÁVEL”, escreveu Bolsonaro em sua conta do Twitter.

Ontem, em debate com o atual presidente dos Estados Unidos e candidato à reeleição, Donald Trump, do partido Republicano, Biden falou que o Brasil está queimando a Amazônia e, se não parar, haverá consequências econômicas significativas.

Bolsonaro respondeu ainda que há uma “cobiça de alguns países sobre a Amazônia” e que a “externação por alguém que disputa o comando de seu país sinaliza claramente abrir mão de uma convivência cordial e profícua”. Por esse motivo, o presidente brasileiro disse que seu governo está “protegendo a Amazônia” em aliança com o atual presidente americano, Trump.

Leia também:

“Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia. Cooperação dos EUA é bem-vinda, inclusive para projetos de investimento sustentável que criem emprego digno para a população amazônica, tal como tenho conversado com o Presidente Trump”, afirmou.

Bolsonaro publicou a nota, que tem versão em inglês, também no Facebook. “Custo entender, como chefe de Estado que reabriu plenamente a sua diplomacia com os Estados Unidos, depois de décadas de governos hostis, tão desastrosa e gratuita declaração. Lamentável, Sr. Joe Biden, sob todos os aspectos, lamentável”, concluiu.