Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    48.059,84
    -2.600,46 (-5,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Bolsonaro reduz tarifa de importação de skates e instrumentos musicais de corda

Extra
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — O governo reduziu, nesta terça-feira (dia 20), tarifas de importação de uma série de produtos, inclusive skates e instrumentos musicais de corda. A informação foi divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais e publicada em edição extra do Diário Oficial da União.

Segundo Bolsonaro, a tarifa sobre skates foi cortada de 20% para 2%. Já a cobrança sobre instrumentos de corda foi reduzida de 18% para 5%.

O presidente não explicou os critérios adotados para escolher esses produtos para serem objeto de desoneração agora.

Em fevereiro, Bolsonaro havia anunciado a reduçao gradual da tarifa de importação que incide sobre bicicletas, na ocasião em 35%. A decisão foi criticada por representantes da indústria nacional.

A redução de tarifas de importação estimula a entreda de produtos produzidos no exterior para competir com similares produzidos no país, o que favorece a queda dos preços.

As novas regras entram em vigor no dia 27 de abril, segundo resoluções da Comitê-Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex).

Os documentos também tratam da redução a zero de alíquotas de produtos como soja e milho, cujos preços internacionais em alta contribuem para a alta dos itens da cesta básica no país e dão combustível à inflação. Nesse caso, a redução vale até o dia 31 de dezembro.

As mudanças foram feitas por meio da alteração da chamada Tarifa Externa Comum (TEC), que estabelece o Imposto de Importação cobrado nos países membros do Mercosul nas compras de produtos de países que não fazem parte do bloco.

Nos últimos meses, o governo tem adotado essa estratégia para reduzir a tributação de itens importados.

Em março, o Executivo anunciou redução de 10% nas tarifas que incidem sobre produtos como celulares, computadores e máquinas usadas em indústrias, conhecidas como bens de capital.