Mercado abrirá em 1 h 23 min
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,95
    -1,00 (-1,35%)
     
  • OURO

    1.810,60
    -6,60 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    39.603,44
    -1.953,42 (-4,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    965,01
    +15,11 (+1,59%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.083,01
    +50,71 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    15.016,25
    +60,50 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1960
    +0,0080 (+0,13%)
     

Bolsonaro recorre ao STF para não pagar internet de alunos da escola pública

·1 minuto de leitura
Jair Bolsonaro. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
Jair Bolsonaro. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
  • Governo Bolsonaro recorre ao STF para tentar barrar projeto que custeia acesso à internet para alunos da escola público.

  • Projeto tem investimento previsto de R$3,5 bilhões.

  • Projeto visa garantir acesso para 18 milhões de estudantes e 1,5 milhão de professores.

Durante a pandemia do novo coronavírus, com as aulas realizadas remotamente, o acesso à Internet se tornou essencial para milhões de alunos da escola pública continuarem tendo acesso à educação.

Leia também:

A chamada Lei da Conectividade, de número 14.172, garante justamente o acesso à internet para 18 milhões de estudantes e 1,5 milhão de professores da rede pública brasileira, um projeto do deputado Professor Israel (PV-DF) que prevê o investimento de R$3,5 bilhões.

As informações são do jornal Correio Braziliense.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Ocorre que agora o governo Bolsonaro entrou com uma ação na Justiça para tentar barrar o projeto. A ação foi protocolada nesta sexta-feira (6) pela Advocacia Geral da União (AGU).

Parlamentares da oposição de posicionaram imediatamente contra a ação do governo bolsonaro de tentar barrar um projeto para custear a internet para milhões de alunos sem condições financeiras.

"Um governo covarde que morre de medo da educação porque sabe que a educação é potencialmente libertadora", escreveu a deputada Erika Kokay, do PT-DF.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos