Mercado fechará em 1 h 52 min
  • BOVESPA

    115.771,22
    -692,84 (-0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.001,15
    -1.052,41 (-2,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,10
    +0,49 (+0,93%)
     
  • OURO

    1.844,40
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    30.603,21
    -1.399,03 (-4,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    616,02
    -23,89 (-3,73%)
     
  • S&P500

    3.778,79
    -70,83 (-1,84%)
     
  • DOW JONES

    30.520,85
    -416,19 (-1,35%)
     
  • FTSE

    6.567,37
    -86,64 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.219,25
    -266,25 (-1,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5428
    +0,0320 (+0,49%)
     

Bolsonaro prorroga período em que empresas podem suspender contratos e reduzir jornadas e salários

Por Eduardo Simões
·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro editou decreto que prorroga o período em que as empresas poderão suspender contratos de trabalho e reduzir salário e jornadas para fazer frente ao impacto econômico gerado pela pandemia de Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.

O decreto, publicado na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União, prorroga em 30 dias o período em que as empresas poderão reduzir o salário e a jornada de trabalho de seus funcionários, elevando-o de 90 dias para 120 dias.

Além disso, o período em que o contrato de trabalho poderá ser suspenso foi acrescido de 60 dias e agora a suspensão poderá ocorrer por 120 dias, segundo comunicado da Secretaria-Geral da Presidência da República.

"A justificativa é que a ampliação do tempo prevista na Lei nº 14.020, de 6 de julho de 2020, irá permitir que empresas tenham tempo hábil para se reestruturar, preservando, assim, diversos postos de trabalho", afirma o comunicado.

O decreto determina ainda que o trabalhador que tiver contrato de trabalho intermitente formalizado até 1 de abril, data em que foi editada a Medida Provisória 936 que permitiu a redução de salário e jornada e a suspensão dos contratos, terá direito a receber por um quarto mês o auxílio emergencial de 600 reais, dado pelo governo federal durante a pandemia.