Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.668,25
    -1.400,30 (-1,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.098,42
    +372,46 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,48
    -0,53 (-0,74%)
     
  • OURO

    1.800,80
    +2,80 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    17.234,42
    +416,87 (+2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    406,12
    +11,43 (+2,90%)
     
  • S&P500

    3.957,49
    +23,57 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    33.705,31
    +107,39 (+0,32%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.604,75
    +95,25 (+0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5003
    +0,0339 (+0,62%)
     

Bolsonaro promete 13º do Auxílio Brasil para mulheres, mas não tem verba

Não existem recursos financeiro disponível para concretizar este plano (Getty Image)
Não existem recursos financeiro disponível para concretizar este plano (Getty Image)
  • Presidente Bolsonaro anunciou que mulheres receberão 13ª parcela do Auxilio Brasil

  • Ministério da Cidadania foi pego de surpresa com a promessa do governante

  • Técnicos da pasta apontam que não existe verba para realizar a proposta neste ano

Durante o ano eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro (PL) realizou uma série de medidas e fez promessas para parte da população. Uma delas é que o Auxílio Brasil teria uma 13° parcela para mulheres. No entanto, não existem recursos financeiro disponível para concretizar este plano.

Bolsonaro compartilhou uma notícia de anúncio do 13º para mulheres que recebem o Auxílio Brasil sem conceder detalhes. Na ocasião, o Ministério da Cidadania foi pego de surpresa com a promessa.

Segundo técnicos da pasta, apenas em 2023 o atual presidente conseguiria realizar o pagamento dos valores, uma vez que não há verba disponível para liberar ainda neste ano.

Integrantes do governo ainda ressaltam que não existe dinheiro sobrando nem para manter o piso do Auxílio Brasil em R$ 600 a partir de janeiro. De acordo com a proposta instituída, os beneficiários passariam a receber apenas os R$ 400. Esse adicional de R$ 200 foi acrescido na Proposta de Emenda (PEC) Eleitoral para vigorar somente até dezembro, quando acaba o mandato do atual presidente.

Logo após a realização do 1° turno, o governo ainda anunciou, nesta segunda-feira (dia 3), a antecipação do pagamento do Auxílio Brasil para a próxima terça-feira, dia 11 de outubro. O cronograma original estava previsto para o dia 18 e, agora, termina antes do segundo turno eleitoral.