Mercado abrirá em 7 h 51 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +0,46 (+0,71%)
     
  • OURO

    1.685,20
    +7,20 (+0,43%)
     
  • BTC-USD

    53.831,64
    +3.485,23 (+6,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.087,13
    +62,93 (+6,14%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.924,92
    +384,09 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    28.924,31
    +181,06 (+0,63%)
     
  • NASDAQ

    12.455,75
    +158,50 (+1,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9718
    +0,0120 (+0,17%)
     

Bolsonaro insiste em tratamento precoce e volta a lançar desconfiança sobre Coronavac

DANIEL CARVALHO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF,  20.02.2020 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 20.02.2020 - O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Ignorando o que dizem autoridades de saúde em todo o mundo, inclusive a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a insistir no "tratamento precoce" contra a Covid-19.

"Não desistam do tratamento precoce. Não desistam, tá? A vacina é para quem não pegou ainda. E esta vacina que está aí é 50% de eficácia. Ou seja, se jogar uma moedinha para cima, é 50% de eficácia. Então, está liberada a aplicação no Brasil", disse Bolsonaro a apoiadores em vídeo compartilhado pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) em seu canal no Telegram, aplicativo de mensagens que virou queridinho da direita nos últimos dias.

Um de seus apoiadores perguntou ao presidente se a vacina seria obrigatória. Bolsonaro pôs em dúvida a eficiência da Coronavac, vacina que está sendo utilizada no início da imunização no Brasil e que, junto com a vacina de Oxford, teve uso emergencial autorizado pela Anvisa no domingo (17).

"No que depender de mim, não será obrigatória. É uma vacina emergencial, 50% de eficácia. É algo que ninguém sabe ainda se teremos efeitos colaterais ou não", afirmou.