Mercado fechado

Bolsonaro faz doação irregular de R$ 10 mil em dinheiro vivo para campanha de Carlos

Ana Paula Ramos
·1 minuto de leitura
Presidente doou R$ 10 mil em dinheiro vivo para campanha do filho Carlos Bolsonaro (Photo EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Presidente doou R$ 10 mil em dinheiro vivo para campanha do filho Carlos Bolsonaro (Photo EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro doou, de forma irregular, R$ 10 mil, em dinheiro vivo, para a campanha de seu filho Carlos Bolsonaro (Republicanos), candidato à reeleição como vereador do Rio de Janeiro.

No entanto, uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), editada no ano passado, determina que doações acima de R$ 1.064,10 só podem ser feitas por transferência bancária eletrônica ou cheque cruzado e nominal.

Leia também

Os dados estão disponíveis no site do TSE.

Carlos Bolsonaro afirmou em uma rede social que o dinheiro foi devolvido e depois doado novamente, desta vez dentro do que determina a regra.

"Doação acima de R$ 1.064,10 só é aceita mediante transferência bancária. O recurso, de origem lícita, então foi devolvido e retransferido como esclarece a regra", disse o vereador.

O próprio Carlos colocou também R$ 10 mil em sua campanha.

Desde 2004, o presidente é um doador fiel às campanhas do filho 02 e, na maioria das vezes, dá preferência a dinheiro em espécie.

Em 2004, passou um cheque de R$ 10 mil; em 2008, depósito em espécie de R$ 15 mil; em 2012, mais R$ 12 mil em dinheiro vivo; em 2016, três transferências eletrônicas, somando R$ 20.500, além das cessões de um imóvel na zona norte do Rio e de um microônibus, no total de R$ 3 mil.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) deve doar também à campanha do irmão, de acordo com o histórico de doações: ele doou R$ 10 mil, em 2008, por meio de um depósito em espécie; e mais R$ 10 mil em 2012, transferidos eletronicamente.