Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,80
    -0,77 (-1,95%)
     
  • OURO

    1.907,50
    -4,40 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    13.635,20
    +13.635,20 (+0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.533,00
    -55,00 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Bolsonaro edita MPs para incluir Brasil em consórcio de vacinas contra a covid-19

Fabio Murakawa
·1 minuto de leitura

Uma das MPs libera um crédito extraordinário de R$ 2,5 bilhões, uma exigência para a participação no consórcio Covax Facility O presidente Jair Bolsonaro editou nesta quinta-feira duas medidas provisórias com o objetivo de oficializar a entrada do Brasil em um programa mundial para desenvolver vacinas contra a covid-19. Uma das MPs libera um crédito extraordinário de R$ 2,5 bilhões, uma exigência para a participação no consórcio Covax Facility, que tem como objetivo acelerar a alocação de recursos para o desenvolvimento e a fabricação de vacinas contra o coronavírus. Governo espera imunizar 10% da população até o fim de 2021 Dimitri Houtteman/Unplash O governo espera imunizar 10% da população até o fim de 2021, com foco em "populações consideradas prioritárias". O consórcio é formado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), Gavi Alliance e a Coalition for Epidemic Preparedeness Innovations (CEPI). Os países que decidirem aderir à iniciativa aderentes à iniciativa terão acesso igualitário à imunização. O Brasil terá, assim, acesso a nove vacinas que atualmente estão em desenvolvimento e outras que estão em análise. Entretanto, a adesão não implica a obrigatoriedade de compra das vacinas, o que fica a critério de cada país.