Mercado fechado

Bolsonaro diz que presidente da chinesa Huawei quer instalar 5G no Brasil

TALITA FERNANDES
***ARQUIVO***BRASILIA, DF, 14.11.2019: O presidente Jair Bolsonaro participa de evento (Diálogo com o Conselho Empresarial do Brics) com os presidentes dos países do Brics, Cyril Ramaphosa (África do Sul), Narendra Modi (primeiro-ministro da Índia), presidente Vladmir Putin (Rússia) e primeiro-ministro Xi Jinping (China) durante reunião de cúpula do grupo, no Palácio do Itamaraty. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Depois de se reunir com o presidente-executivo da Huawei no Brasil, Wei Yao, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta segunda-feira (18) que a empresa asiática quer instalar o 5G no país. 

"Não foi feita a proposta, ele apenas mostrou que quer 5G no Brasil", disse ao entrar no Palácio da Alvorada no início da noite. 

Bolsonaro disse que não foi falado sobre leilão da tecnologia 5G, que deve ser realizado no segundo semestre de 2020.

"A palavra leilão eu não ouvi na reunião. Se ele falou, eu estava desatento", disse. 

O encontro aconteceu na manhã desta segunda no Palácio do Planalto e foi proposto pelo executivo da empresa chinesa. 

O 5G está no centro da disputa comercial entre EUA e China, já que a companhia asiática é detentora da tecnologia. Tido como principal aliado pelo Brasil, os EUA têm pressionado o governo Bolsonaro para excluir a Huawei do leilão.

"Fiquei sabendo que tem uma empresa sul-coreana também está em condições para operar 5G. A melhor oferta a gente vai ... a gente vai olhar para o lado do que, da oferta, né? E conectividade, ai sim", disse. 

Questionado sobre o que foi falado, Bolsonaro diz que apenas ouviu sobre a presença da companhia chinesa no Brasil. 

"Ele não mostrou proposta, ele mostrou como está a empresa no Brasil", disse.

A reunião com o presidente-executivo da Huawei ocorre dias depois de Bolsonaro ter se reunido com o líder chinês, Xi Jinping, durante encontro do Brics.

Em Pequim, em visita oficial realizada em outubro, disse que o Brasil vai aguardar a melhor oferta no leilão da tecnologia 5G e que não se posicionará agora sobre a disputa.

A Huawei é a detentora da tecnologia e foi tema de conversa reservada entre o presidente brasileiro e Donald Trump, dos EUA. A afirmação foi feita pelo próprio Bolsonaro durante visita na China. 

Os EUA têm feito campanha aberta contra a gigante chinesa. O país impôs sanções à Huawei, alegando que a companhia representa um risco à segurança nacional.

A conversa de Bolsonaro com o presidente-executivo da Huawei ocorre depois de ele ter feito acenos a Xi em reunião fechada do Brics, na quinta-feira (14).

Segundo relatos feitos à reportagem por participantes do encontro, Bolsonaro disse ter falado mal do país asiático em 2018, na condição de candidato, mas afirmou que hoje todos sabem que isso não reflete a verdade.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo na sexta (15), a China pôs à disposição do governo Bolsonaro mais de US$ 100 bilhões de pelo menos cinco fundos estatais para uma nova rodada de investimentos no Brasil.