Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.667,66
    +293,79 (+0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.232,20
    -741,07 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,20
    +2,38 (+2,84%)
     
  • OURO

    1.813,10
    -3,40 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    42.372,27
    +566,91 (+1,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.008,48
    -0,91 (-0,09%)
     
  • S&P500

    4.577,11
    -85,74 (-1,84%)
     
  • DOW JONES

    35.368,47
    -543,34 (-1,51%)
     
  • FTSE

    7.563,55
    -47,68 (-0,63%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.227,75
    -368,00 (-2,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3034
    +0,0096 (+0,15%)
     

Bolsonaro diz a site que Petrobras começará a reduzir preço de combustíveis nesta semana

·1 min de leitura

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou que a Petrobras começará nesta semana a anunciar "pequenas" reduções no preço dos combustíveis, conforme entrevista ao Poder360.

"A Petrobras começa nesta semana já a anunciar redução no preço do combustível. Essa semana já começa a anunciar", disse o presidente em entrevista ao Poder360 publicada neste domingo no site do noticioso.

"A gente anuncia agora nessa semana pequenas reduções, a princípio toda semana, no preço dos combustíveis... A partir dessa semana agora. Até porque quando o (petróleo) Brent cai isso é coisa automática, não é bola de cristal nem antecipação de informação privilegiada", disse Bolsonaro.

O barril do Brent, referência para a Petrobras, completou a sexta semana consecutiva de baixa na sexta-feira e acumula queda de 19,4% desde as máximas de outubro.

Bolsonaro disse ainda que o governo está fazendo o possível para aumentar a capacidade de refino de petróleo e que, enquanto não houver autonomia na atividade, não é "prudente" estudar mudanças nas regras de paridade do preço da commodity no mercado internacional com os custos locais dos combustíveis.

Na entrevista, o presidente disse ainda não esperar reformas em 2022, considerando que seria um ano de "menor produtividade" por causa das eleições e que "isso é normal".

GUEDES

Questionado se manteria o ministro da Economia, Paulo Guedes, em sua equipe em caso de um segundo mandato, Bolsonaro respondeu que vale a vontade do ministro.

"Não tenho nada contra ele. É da vontade dele", disse.

O presidente emendou que nenhum ministro que não tem falado em concorrer nas eleições do ano que vem manifestou interesse em deixar o governo.

(Texto de José de Castro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos