Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.582,12
    -878,93 (-1,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Bolsonaro diz que pedirá a Queiroga data para fim do uso de máscaras no Brasil

·1 minuto de leitura

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que irá pedir ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, uma data para que o uso de máscaras como proteção contra a Covid-19 deixe de ser obrigatório no país.

Em entrevista a uma rádio do Vale da Ribeira (SP), Bolsonaro lembrou que já havia pedido um estudo ao ministro sobre o tema e repetiu que, com a maior parte da população vacinada ou que já teve Covid-19 as máscaras não seriam mais necessárias.

Evidências científicas mostram que mesmo pessoas vacinadas ou que já tiveram a doença podem ser infectadas e, mesmo que sejam assintomáticas ou tenham sintomas leves, podem contaminar outros que não puderam ser imunizados.

O Brasil hoje chega próximo a 60% da população com ao menos uma dose da vacina, mas apenas cerca de 25% foi totalmente imunizada.

Como lembrou o próprio presidente, no entanto, a obrigatoriedade do uso de máscaras é uma decisão de Estados e municípios, e não da União.

Bolsonaro ainda voltou a atacar as vacinas, dizendo que ainda são experimentais, o que não é verdade, e atacou a vacina chinesa CoronaVac –sem citá-la nominalmente–, afirmando que mesmo pessoas com duas doses estão ficando doentes e que o instituto Butantan, que fabrica a vacina no Brasil, e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) “terão que responder sobre isso”.

Até agora, os dados mostram que a CoronaVac tem sido eficaz em prevenir casos graves e mortes, mas o alto grau ainda de circulação de vírus no Brasil não impede a contaminação, e pessoas idosas e com comorbidades correm risco de agravamento, mesmo vacinadas.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos