Mercado fechado

Bolsonaro diz que forma partido em um mês se TSE permitir assinatura eletrônica

Matheus Schuch

"Senão, vai demorar alguns meses, longos meses", afirmou o presidente O presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer nesta sexta-feira que a permissão para coleta de assinaturas eletrônicas é fundamental para viabilizar a criação de seu partido, o Aliança pelo Brasil (APB), em tempo hábil para as eleições municipais do ano que vem. O caso será analisado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima semana.

Antonio Cruz/Agência Brasil/Arquivo

"Se for positiva [a decisão do TSE], forma em um mês o partido. Senão, vai demorar alguns meses, longos meses", afirmou o presidente, após ser questionado por jornalistas na saída do Palácio da Alvorada. "Se passar só para biometria também ajuda, acho que a maior parte dos eleitores estão na biometria, daí a gente resolve isso aí".

O uso da biometria seria uma alternativa para garantir a segurança na identificação dos apoiadores da nova sigla. São necessárias mais de 470 mil assinaturas para a criação do partido. O registro precisa estar finalizado até março para que o APB tenha candidatos no pleito de 2020.

Encontro do Mercosul

Anfitrião do próximo encontro do Mercosul, Bolsonaro que o principal objetivo do encontro será avançar no acordo de livre comércio do bloco sul-americano com a União Europeia. "Primeiro é consolidar acordo com a União Europeia. Mais importante é isso aí", afirmou O encontro será realizado na primeira semana de dezembro, em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha.

O presidente também aproveitou a conversa com os jornalistas negar rumores de que irá substituir os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, da Educação, Abraham Weintraub, e do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio."Vamos desmentir que eu troquei três ministros, tá ok? Eu tenho intenção de trocar 24 ministros, tá bom ou não?", ironizou.