Mercado fechado

Bolsonaro diz que coronavírus não ‘é isso tudo’ e que é melhor o petróleo cair do que subir

Paola de Orte

Em evento em Miami, presidente avaliou que não há um cenário de crise e destacou a recuperação das bolsas após o dia de pânico nos mercados O coronavírus não é isso tudo, muito do que se fala sobre crise é fantasia, e é melhor o preço do petróleo cair do que subir. Esses foram os comentários, para uma plateia de empresários, do presidente Jair Bolsonaro sobre o caos no mercado financeiro gerado a partir da escalada do pânico com o coronavírus e a guerra de preços entre Arábia Saudita e Rússia na segunda-feira. Ontem, o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores de São Paulo, caiu 12,17%. Hoje o índice abriu em forte alta.

“Durante o ano que se passou, obviamente, temos momentos de crise. Muito do que tem ali é muito mais fantasia, a questão do coronavírus, que não é isso tudo que a grande mídia propaga. Alguns da imprensa conseguiram fazer de uma crise a queda do preço do petróleo, entendo que daria muito mais... é melhor cair 30% do que subir 30% do preço do petróleo. Mas isso não é crise”, afirmou.

Rio Grande do Sul tem primeiro caso de coronavírus confirmado

Analista da MCM vê risco de ingovernabilidade no Brasil

As declarações foram feitas em Miami, durante um evento para empresários. Menos de cem convidados assistiram ao discurso do presidente. Bolsonaro está na Flórida desde o sábado, quando jantou com o presidente americano Donald Trump.

Presidente Jair Bolsonaro em evento com empresários em Miami, nos EUA

Alan Santos/PR

O presidente argumentou durante o discurso que problemas podem acontecer no mercado de ações e afirmou que a bolsa hoje já abriu em alta. O Ibovespa está operando em forte alta nesta terça, após o anúncio de Donald Trump de que de que deve cortar impostos sobre a folha de pagamentos.

“Obviamente, problemas na bolsa, isso acontece esporadicamente. Como estamos vendo agora há pouco, as bolsas que começam a abrir hoje já começam com sinais de recuperação”, completou.

Ontem, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que, no momento, o governo não aplicará nenhuma medida emergencial para lidar com a queda acentuada do petróleo e da bolsa de valores. Bolsonaro afirmou ontem e reiterou hoje, quando falou pela primeira vez com jornalistas durante a viagem, que não haverá mudança na política de preços da Petrobrás.

“Zero, zero, não existe isso. A política que a Petrobrás segue é a de preços internacionais, então a gente espera, obviamente, não como presidente mas como cidadão, que o preço caia nas refinarias e seja repassado ao consumidor na bomba.”

Bolsonaro disse também aos empresários que, durante o jantar de sábado com Trump, pediu para que a conversa bilateral sobre comércio passasse de temas pontuais para uma discussão mais ampla.

“Foi dado o primeiro passo, conversamos sábado com presidente Trump. Discutimos questões pontuais, como é do interesse americano, etanol e carne de porco. Pedi para ele para que nós deixássemos questões pontuais e discutíssemos de forma mais ampla. Ele concordou. Então nossas assessorias vão começar a discutir livre comércio mais amplo com EUA.”

Sistema eleitoral

Bolsonaro sugeriu hoje que os brasileiros não confiam no sistema eleitoral, ao responder uma pergunta de um jornalista sobre se vai apresentar provas sobre fraudes nas eleições. “Eu quero que você me ache um brasileiro que confie no sistema eleitoral brasileiro”, disse.

Ontem, o presidente disse, durante um encontro com a comunidade brasileira em Miami, que acredita que houve fraude nas eleições de 2018, apesar de não ter apresentado nenhuma prova nesse sentido. O presidente já havia feito acusações de fraude em 2018, mas agora, pela primeira vez, disse ter "provas" — sem mostrá-las.

“Eu acredito que, pelas provas que tenho em minhas mãos, que vou mostrar brevemente, eu tinha sido, eu fui eleito no primeiro turno, mas no meu entender teve fraude. E nós temos não apenas palavra, nós temos comprovado, brevemente eu quero mostrar”, afirmou.