Mercado fechado

Bolsonaro diz que acordo automotivo com o Paraguai talvez saia na quinta

Matheus Schuch

O presidente voltou também a fazer críticas ao domínio da esquerda na América do Sul nos últimos anos O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, na porta do Palácio do Alvorada, que o acordo automotivo entre Brasil e Paraguai "talvez" saia amanhã. Bolsonaro embarca na quinta-feira para a reunião de cúpula do Mercosul, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, onde se encontrará com presidentes dos demais países membros do bloco, como Argentina e Uruguai.

Antonio Cruz/ Agência Brasil

Questionado sobre a nova configuração do Mercosul a partir de 2020 com a eleição de novos presidentes argentino e uruguaio, Bolsonaro voltou a fazer críticas ao domínio da esquerda na América do Sul nos últimos anos. Ele defendeu, porém, que as negociações no âmbito do bloco sul-americano sejam pragmáticas. “O que interessa o pragmatismo [nas relações]", afirmou.

Ainda falando sobre automóveis, o presidente relatou que encaminhou junto ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), um acordo para votação do projeto que altera regras de trânsito e da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). "O que é mais importante ali é a validade da carteira de motorista para 10 anos, a pontuação [aumentar para] 40. E mais uma coisinha ou outra. Vai fazer uma lipoaspiração. É um bom projeto", defendeu.

O encaminhamento se deu em uma reunião de Bolsonaro com Maia na noite passada. O presidente se comprometeu a sancionar o projeto na mesa da Câmara caso a tramitação no Congresso seja encerrada neste ano.

"Quem garante [a aprovação] é a votação, mas acho que estes pontos têm quase consenso lá dentro [do Congresso]", completou Bolsonaro, que aproveitou para criticar a presença de radares “em tudo quanto é lugar”. Para o presidente, as pessoas “estão vibrando” com a retirada de controladores móveis de velocidade.