Mercado fechará em 3 h 28 min
  • BOVESPA

    117.103,03
    +872,91 (+0,75%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.806,26
    -240,32 (-0,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,44
    +0,92 (+1,06%)
     
  • OURO

    1.717,50
    -13,00 (-0,75%)
     
  • BTC-USD

    20.099,67
    +72,87 (+0,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,05
    -3,35 (-0,73%)
     
  • S&P500

    3.757,94
    -32,99 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    30.128,19
    -188,13 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.517,25
    -123,50 (-1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1388
    -0,0291 (-0,56%)
     

Bolsonaro diz esperar nova deflação mensal após queda do IPCA em julho

Bolsonaro no Palácio do Planalto

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) disse nesta terça-feira que o Brasil deverá ter outra deflação mensal após o anúncio de queda do IPCA em julho.

O IBGE anunciou nesta terça-feira que o Brasil voltou a registrar deflação em julho pela primeira vez desde meados de 2020, com a menor taxa desde o início da série histórica em janeiro de 1980.

A deflação foi influenciada pelas reduções nos preços de combustíveis e energia elétrica, graças a medidas do governo aprovadas no Congresso para reduzir impostos e forçar a queda nos valores.

Em discurso na abertura do Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (SIAVS), em São Paulo, Bolsonaro citou o teto do ICMS aprovado para combustíveis e energia, entre outros.

"Todos estão sentindo que estão acontecendo coisas boas, acabou de ser anunciada agora uma deflação, e tenho certeza que no mês que vem tem outra deflação, juntamente com anúncio do crescimento do número de empregos no Brasil", afirmou ele, que concorre à reeleição e aposta na melhora da economia para encurtar a distância do líder das pesquisas, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A queda do IPCA em julho teve forte influência da lei que estabelece um teto para as alíquotas de ICMS sobre os setores de combustíveis, gás, energia, comunicações e transporte coletivo.

(Por Roberto Samora. Edição de Flávia Marreiro)