Mercado abrirá em 2 h 46 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,13
    +0,58 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.791,60
    +31,70 (+1,80%)
     
  • BTC-USD

    17.102,63
    +206,79 (+1,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,95
    +4,26 (+1,06%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.592,72
    +19,67 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.030,00
    -12,25 (-0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4083
    +0,0118 (+0,22%)
     

Bolsonaro discute aumento às polícias federais em 2022

Bolsonaro (PL) busca aumentar os salários da PRF, PF e Depen (AP Photo/Eraldo Peres).
Bolsonaro (PL) busca aumentar os salários da PRF, PF e Depen (AP Photo/Eraldo Peres).
  • Encontro entre o chefe do executivo e equipe econômica será nesta terça-feira (14/12)

  • Aumento beneficiará PF, PRF e Depen

  • Acréscimo é avalizado por espaço no orçamento aberto pela PEC do Precatórios.

Durante evento Rodovia 2022, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), o presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), anunciou que tratará sobre aumento de salários de agentes de segurança federais com a equipe econômica ainda na tarde desta terça-feira (14/12).

“Temos que valorizar vocês também, não podemos ficar apenas nos discursos e nas promessas”, disse o mandatário federal aos presentes no evento.

Leia também:

O governo federal espera utilizar espaço aberto no orçamento de 2022, por meio da PEC dos Precatórios, para viabilizar o aumento aos policiais federais.

O chefe do executivo busca aumentar os salários dos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). No último mês de novembro o presidente da república sofreu protestos da categoria, por prometer aumentar o pagamento da categoria desde 2019 e não entregar nada, além de congelar a correção salarial dos servidores federais, por meio da PEC Emergencial.

"Algumas injustiças acontecem em nossas vidas, reconheço, não quero me eximir de responsabilidade. Nós temos que buscar corrigi-las. Se Deus quiser teremos reunião bastante profícua, onde possamos atender a todos vocês", explicou o presidente da república.