Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.981,81
    +217,55 (+0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.634,47
    -218,90 (-0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,91
    -3,18 (-3,45%)
     
  • OURO

    1.794,70
    -20,80 (-1,15%)
     
  • BTC-USD

    24.008,69
    -280,20 (-1,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,16
    -20,60 (-3,49%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.681,25
    +103,50 (+0,76%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1737
    -0,0298 (-0,57%)
     

CORREÇÃO-Bolsonaro deve ser operado para retirada de cálculo nas próximas semanas, diz médico

·2 min de leitura
.

(Corrige 8º parágrafo de matéria publicada dia 15, onde texto se referia a Bolsonaro como ex-presidente)

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro deve ser operado nas próximas semanas para retirada de um cálculo na bexiga que vem causando um ligeiro incômodo, afirmou nesta terça-feira à Reuters o médico Antônio Macedo, responsável pelas últimas cirurgias do presidente.

A operação deve ocorrer em São Paulo e será conduzida por um médico urologista especialista nesse tipo de intervenção, de acordo com Macedo. Segundo ele, exames realizados pelo presidente constataram o cálculo.

“O presidente tem um cálculo na bexiga e isso incomoda por que é um corpo estranho que se mexe“, disse o médico.

O próprio Bolsonaro já havia afirmado, no mês passado, que seria submetido a uma cirurgia para retirada do cálculo na bexiga. Segundo ele, a pedra está lá há mais de cinco anos e seria maior que o tamanho de um grão de feijão.

Em 2018, no meio das eleições presidenciais, Bolsonaro, então candidato a presidente, foi alvo de um atentado a faca e teve de passar por uma cirurgia de emergência. Posteriormente o presidente foi operado outras vezes devido a consequências da facada.

“A cirurgia não tem nada a ver com a facada, é algo paralelo que pode acontecer com qualquer pessoa“, disse Macedo.

Bolsonaro, de 65 anos, foi operado quatro vezes após o ataque, primeiro de emergência em Juiz de Fora (MG), onde ocorreu o atentado. Depois foram intervenções realizadas em São Paulo, para desobstrução intestinal, retirada de uma colostomia e correção de uma hérnia. Macedo realizou as três cirurgias na capital paulista.

A cirurgia para retirada de um cálculo é considerada simples, mas o fato de o presidente ter passado por outros procedimentos desde 2018 torna o processo um pouco mais complicado.

"A barriga dele é muito difícil de abrir, soltar intestino e outros órgãos por conta das inúmeras cirurgias... É algo simples que fica um pouco mais delicado pelo histórico, mas ele fez um check up conosco mês passado e a saúde dele está perfeita", afirmou Macedo.

O período pós-cirúrgico também é considerado simples pelo médico, mas deve exigir um repouso de até cinco dias por parte do presidente.

"Vai precisar de um certo resguardo e depois toca a vida. Não dá para ter muitas reuniões e fazer movimentações e deslocamentos. Não precisa ficar de cama, mas não poderá fazer esforço", afirmou.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos