Mercado fechará em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    104.014,07
    +1.789,81 (+1,75%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,78
    +4,63 (+6,79%)
     
  • OURO

    1.790,70
    +2,60 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    57.342,68
    +2.992,73 (+5,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.438,22
    -17,19 (-1,18%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.146,54
    +102,51 (+1,46%)
     
  • HANG SENG

    23.852,24
    -228,28 (-0,95%)
     
  • NIKKEI

    28.283,92
    -467,70 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.241,75
    +190,75 (+1,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3136
    -0,0349 (-0,55%)
     

Bolsonaro deve participar de reunião do G-20, em Roma, no fim deste mês

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro deverá participar da reunião de cúpula de líderes do G-20, grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo, nos dias 30 e 31 de outubro, em Roma. Segundo o chefe de gabinete do Itamaraty, Achiles Zaluar Neto, a previsão é que Bolsonaro representará o Brasil ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do chanceler Carlos França.

— Todos os preparativos estão sendo feitos nesse sentido — disse o diplomata, nesta sexta-feira.

Entre os temas a serem tratados pelos participantes, um deles é o aquecimento global. Bolsonaro viajará a Roma munido de argumentos que incluem os esforços do governo brasileiro no combate ao desmatamento, a adoção de metas mais ambiciosas para alcançar níveis reduzidos de emissão de gases de efeito estufa e a defesa da regulamentação de um mercado global de carbono.

O governo brasileiro também defenderá o fortalecimento de organismos internacionais e a expansão da oferta de vacinas. O Brasil defende que a diversificação e o aumento da capacidade produtiva dos imunizantes.

Uma bandeira que será repetida é a eliminação dos subsídios à agricultura. O Brasil espera abrir os mercados aos produtos do agronegócio nas negociações que ocorrem no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos