Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    34.655,04
    -1.367,57 (-3,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.017,75
    -138,50 (-0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Bolsonaro defende interferência na Petrobras e fala em previsibilidade para combustíveis

·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira a apoiadores que interferiu na troca do comando da Petrobras e ressaltou que a nova diretoria da companhia petrolífera, presidida pelo general Joaquim Silva e Luna, está finalizando estudos a respeito de uma fórmula para garantir previsibilidade aos reajustes dos combustíveis.

"Da nossa parte eu troquei o comando da Petrobras. No começo foi um escândalo. É para interferir mesmo, eu sou o presidente. Ou eu assumo e tenho que manter todo mundo empregado?", disse Bolsonaro em encontro com apoiadores, segundo transmissão por rede social.

"Ele (novo presidente da Petrobras) está ultimando aí estudos com o conselho novo também que foi colocado lá para ter previsibilidade no aumento de combustíveis", afirmou o presidente referindo-se a Silva e Luna, acrescentando depois que "não é interferência".

Em março, o presidente decidiu demitir o então CEO da Petrobras, Roberto Castello Branco, após se mostrar insatisfeito com os sucessivos aumentos no preço dos combustíveis desde o início do ano. Essa decisão gerou forte impacto no mercado.

Questionado por um simpatizante a respeito da expectativa de queda do preço dos combustíveis, o presidente respondeu:

"Olha, tem uma fórmula automática lá que varia de acordo com o preço do petróleo lá fora e o valor do dólar aqui dentro. Daí eu falei: se é para reajustar desta maneira, pode botar um qualquer lá na Petrobras, é só seguir a fórmula? Alguém que saiba somar e subtrair, não precisa nem saber multiplicar e dividir".

O presidente também comentou na conversa com os apoiadores sobre a crise hídrica e as preocupações com o impacto na geração energética. "Estamos vivendo uma das maiores crises energéticas do país, crise hidrológica, tem problema", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos