Mercado fechado

Bolsonaro defende 'GLO rural' para ser utilizada em reintegrações de posse

Matheus Schuch

O objetivo, segundo o presidente, é dar apoio para o cumprimento de decisões judiciais O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda-feira que enviará um projeto ao Congresso para permitir a convocação de operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no cumprimento de medidas de reintegração de posse. O objetivo é dar apoio para o cumprimento de decisões judiciais.

Antonio Cruz/ Agência Brasil

“Eu quero uma GLO para o campo, quando marginais invadem propriedade rural, o juiz determinando reintegração de posse, como sempre, quase como regra, os governadores protelam isso. Pelo nosso projeto, poderia criar a GLO rural para chegar e tirar o cara da propriedade”, explicou Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro diz que vai à posse no Uruguai se Lacalle Pou vencer

O presidente falou sobre o tema após ser questionado acerca de resistências no Congresso ao projeto do excludente de ilicitude durante ações de GLO. Bolsonaro reforçou o entendimento de que os agentes de segurança precisam estar amparados pela lei para agir.

“O GLO não é uma ação social, chegar com flores na mão. É para chegar preparado para acabar com a bagunça. Se não querem aprovar, não tem problema. A caneta compacta é minha, não tem mais GLO”, ameaçou.

Bolsonaro negou que o projeto do excludente de ilicitude abra caminho para excessos de policiais e militares. Segundo ele, o projeto prevê “o excesso doloso, não é carta branca para matar ninguém”. O presidente indicou ainda que enviou a proposta ao parlamento prevendo possibilidade de protestos de rua no país.

“Você tem que ter capacidade de se antecipar a problemas. É irresponsabilidade um presidente assinar uma GLO e, no final da mesma, havendo efeitos colaterais, o soldado é que se exploda”, argumentou.