Mercado abrirá em 1 h 40 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,00
    +0,23 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.851,50
    -3,70 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    32.220,72
    -1.082,16 (-3,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    647,75
    +0,43 (+0,07%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.671,56
    +32,71 (+0,49%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.435,50
    -40,00 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Bolsonaro cria a NAV Brasil, primeira estatal de seu governo

THIAGO RESENDE
·2 minuto de leitura
GUARATINGUETÁ, SP, 27-11-2020: Acompanhado do filho Eduardo, do Ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva e o Ministro Chefe da do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência Augusto Heleno, o Presidente Jair Bolsonaro acompanhou  a solenidade de graduação de sargentos na Escola de Especialistas de Aeronáutica, em Guaratinguetá . (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
GUARATINGUETÁ, SP, 27-11-2020: Acompanhado do filho Eduardo, do Ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva e o Ministro Chefe da do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência Augusto Heleno, o Presidente Jair Bolsonaro acompanhou a solenidade de graduação de sargentos na Escola de Especialistas de Aeronáutica, em Guaratinguetá . (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou um decreto que cria a primeira estatal de seu governo, a NAV Brasil. A empresa concentrará toda a atividade de navegação aérea do país.

Vinculada ao Ministério da Defesa por meio do Comando da Aeronáutica, a NAV Brasil recebeu aval para ser criada em novembro do ano passado, em lei sancionada pelo presidente.

A empresa foi criada pela cisão da Infraero. O decreto não informa a previsão orçamentária da nova estatal nem quantos funcionários serão transferidos.

A decisão de Bolsonaro de criar a NAV vai na contramão das diretrizes liberais da atual equipe comandada por Paulo Guedes (Economia).

O Ministério da Economia defende privatizações e enxugamento da máquina pública.

O presidente, porém, cedeu às pressões do Comando da Aeronáutica. Desde a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), os militares pleiteavam a criação da estatal.

"A criação da NAV Brasil S.A. reforça a relevância dos serviços de navegação aérea, otimizando a organização do setor de transportes aéreos", afirmou, em nota, o governo, ressaltando que isso não representa aumento da participação estatal na economia, pois a empresa é resultado da cisão da Infraero, o que gera ganho de eficiência.

O Comando da Aeronáutica garante que as receitas virão da navegação aeroportuária. Hoje, essa prestação de serviço responde, segundo os militares, por 12% de toda a atividade do setor, que é desempenhada por órgãos da Aeronáutica e é remunerada.

Segundo o decreto, a Infraero tem 60 dias para apresentar a documentação necessária para a elaboração do laudo de avaliação da parte cindida. Além disso, uma assembleia geral de acionistas da NAV ainda terá que aprovar o estatuto social da empresa.

Caberá à Aeronáutica criar uma comissão transitória responsável pela estruturação da empresa até que seja formado um comitê de elegibilidade estatutário.