Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    47.839,36
    +486,36 (+1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Bolsonaro conversa com Lira sobre caso Daniel Silveira

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro (L) shakes hands with the new president of the Chamber of Deputies, Arthur Lira (R), in front of the new president of the Federal Senate, Rodrigo Pacheco (C), during a session of the National Congress, in Brasilia, on February 3, 2021. - The Brazilian Congress on Monday elected two allies of President Jair Bolsonaro to head the Senate and the lower house, an important victory for the far-right leader in his quest to reinvigorate his reelection efforts for 2022. (Photo by Sergio Lima / AFP) (Photo by SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
Presidente Jair Bolsonaro na posse de Arthur Lira como presidente da Câmara. Lira foi eleito com apoio de Bolsonaro(R), (Photo by SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro recebeu na manhã desta quinta-feira (18) no Palácio da Alvorada o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), segundo blog do G1.

O encontro, que não estava previsto na agenda de Bolsonaro, teve como objetivo discutir a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ).

Leia também

Aliado do presidente, Silveira foi preso na última terça, após ter publicado um vídeo ofendendo ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e enaltecendo o AI-5, instrumento usado pelo regime militar para endurecer a ditadura, em 1968.

Lira teria afirmado ao presidente que a prisão do parlamentar deve ser mantida pelo plenário da Casa, além de alguma forma de punição ao parlamentar, como suspensão ou cassação do mandato. 

Além disso, Lira e Bolsonaro discutiram sobre como a crise pode prejudicar o cronograma de votação de temas econômicos, como a PEC emergencial e o retorno do auxílio emergencial. A equipe econômica do governo não quer que o caso paralise o andamento de projetos considerados importantes.

A prisão de Daniel Silveira foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, e apoiada de forma unânime por todos os ministros da Corte. Mas a decisão final cabe ao plenário da Câmara, que se reúne nesta quinta-feira (18), para votar se referenda ou não a prisão do deputado bolsonarista.

Em denúncia apresentada na quarta-feira ao STF, a Procuradoria-Geral da República aponta uma série de crimes cometidos por Silveira que vão desde a coação no curso do processo à incitação de animosidade entre as Forças Armadas e a cúpula do Poder Judiciário.

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados determinou a imediata reativação do Conselho de Ética ontem e representou contra Daniel Silveira junto ao conselho.

O deputado Juscelino Filho (DEM-MA), presidente do Conselho de Ética, afirmou que na próxima semana vai designar o relator que vai cuidar da representação da Mesa que pede a cassação do deputado bolsonarista.