Mercado abrirá em 3 h 24 min
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,35 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,03
    +0,39 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.783,80
    +14,80 (+0,84%)
     
  • BTC-USD

    33.204,36
    -2.167,75 (-6,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    818,15
    -121,79 (-12,96%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,32 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.037,34
    +19,87 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.119,25
    +84,25 (+0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0134
    -0,0227 (-0,38%)
     

Bolsonaro chama Lula de bandido e diz que petista só ganha eleição de 2022 com fraude

·2 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que o ex-presidente Luiz Inácio Lula foi tornado elegível para se candidatar à Presidência em 2022, mas que só vencerá a eleição com fraude.

"Um bandido foi posto em liberdade, foi tornado elegível, no meu entender para ser eleito presidente. Na fraude. Ele só ganha na fraude o ano que vem", disse Bolsonaro em discurso no Mato Grosso do Sul.

Em seguida, Bolsonaro voltou a defender o voto impresso como forma de evitar fraudes que poderiam levar Lula à Presidência novamente.

"Eu tenho falado que se o Congresso Nacional votar e promulgar uma PEC do voto impresso teremos voto impresso no ano que vem. Eleições dali para frente só com voto impresso. Eu respeito as decisões do Parlamento brasileiro. Os outros Poderes também têm que respeitar", afirmou.

Uma obsessão do presidente, que afirma não ter ganho a eleição no primeiro turno em 2018 porque teria havido fraude na urna eletrônica --apesar de nunca te apresentado as provas que diz ter--, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi apresentada por deputados bolsonaristas. Recentemente, ganhou apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado a Bolsonaro, mas ministros do Tribunal Superior Eleitoral e especialistas na área são contrários à ideia.

Esta semana, o instituto Datafolha apresentou uma rodada de pesquisas --as primeiras feitas em forma presidencial desde o início da pandemia de Covid-19-- mostrando que Lula bate Bolsonaro por 41% a 23% das intenções de voto no primeiro turno e 55% a 32% no segundo turno.

Outros dados da pesquisa mostram ainda que a aprovação ao presidente chegou a 24%, pior registrada até agora, e que a maioria dos entrevistados consideram que o governo geriu mal a resposta à epidemia de Covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos