Mercado abrirá em 9 h 28 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,70
    -0,94 (-1,55%)
     
  • OURO

    1.707,50
    -15,50 (-0,90%)
     
  • BTC-USD

    48.970,83
    +2.168,22 (+4,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    980,54
    +52,31 (+5,64%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.326,90
    -125,67 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.554,75
    -108,75 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.249,25
    -30,50 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7822
    -0,0134 (-0,20%)
     

Bolsonaro ataca revendedoras de gás de cozinha e diz que só vai diminuir preço com 'fuzil na mão': "Cartéis poderosíssimos"

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro attends a ceremony to commemorate Public Servant Day, at the Planalto Presidential Palace in Brasilia, Brazil, Wednesday, Oct. 28, 2020. (AP Photo/Eraldo Peres)
Presidente não apresentou provas das acusações e não explicou o motivo do aumento do preço do gás de botijão (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou nesta sexta-feira (12) as empresas revendedoras de gás de cozinha de “cartéis poderosíssimo” e disse que o valor dos botijões, os chamados GLP (gás liquefeito de petróleo), só irá diminuir com “fuzil na mão”.

“O gás de cozinha está caro, em média R$ 90. O preço na origem é menos de R$ 40 e o imposto federal [sobre o produto] é de R$0,70... não... se não me engano de R$ 0,16. Então não justifica chegar a R$ 90. São cartéis poderóssimos, com dinheiro, com bilhões contra mim”, afirmou Bolsonaro.

A fala foi dita a apoiadores, na manhã de hoje, em frente ao Palácio do Planalto. Em seguida, o presidente sugeriu que para o valor do gás de cozinha diminuir seria necessário empregar a força armada.

Leia também

“Alguns, e eu fico chateado pela ignorância, apontam: ‘Tem que resolver’. Só com um fuzil na mão e ninguém quer fazer isso daí”, concluiu.

No entanto, Bolsonaro não apresentou provas das acusações. Muito menos explicou o motivo do aumento do preço do gás de botijão.

Bolsonaro ainda ressaltou aos apoiadores que o “futuro está sombrio para o Brasil”. “O homem mais poderoso do mundo foi derrubado nas mídias sociais lá nos Estados Unidos”, disse, referindo-se ao ex-presidente Donald Trump, que foi suspenso permanentemente do Twitter "devido ao risco de prolongamento da incitação à violência", em janeiro deste ano.

Aumento no preço

Na segunda-feira (8), a Petrobras reajustou em 5% o preço médio de venda de gás de botijão para as distribuidoras, que passará a ser de R$ 2,91 por kg (equivalente a R$ 37,79 por 13kg). É um aumento médio de R$ 0,14 por kg (equivalente a R$ 1,81 por 13kg).

Ao informar os preços maiores, a estatal explicou os reajustes acompanham a recuperação das cotações internacionais do petróleo, impulsionada por expectativas de retomada da economia com o avanço da vacinação contra a Covid-19 pelo mundo.

A estatal disse ainda que os valores praticados nas refinarias pela Petrobras são diferentes dos percebidos pelo consumidor final no varejo. Até chegar ao consumidor, são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras, no caso da gasolina e do diesel, além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores de combustíveis.

Botijão a R$ 102

Levantamento feito pelo jornal Agora em dez revendedoras nas cinco regiões da capital mostra que, em média, o botijão de 13 kg está 5,88% mais caro nos estabelecimentos que já decidiram pela aplicação do reajuste. Com a alta, o gás passou de R$ 85 para R$ 90, em média.

Na pesquisa feita por telefone pela reportagem, uma distribuidora do bairro Divineia, na Zona Norte, vai aumentar o preço do botijão de 13 kg de R$ 82 para R$ 86 a partir de sexta (12).

Os preços mais salgados foram verificados na região central, onde o botijão, de R$ 98, vai passar a custar R$ 102 também na sexta.

Nas refinarias, a gasolina subiu, em média, 8,1% (R$ 0,17) passando para R$ 2,25 por litro. O diesel subiu 5,1% (R$ 0,11), indo a R$ 2,24 por litro.