Mercado abrirá em 2 h 27 min
  • BOVESPA

    108.651,05
    +248,77 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,05 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,58
    -0,92 (-1,02%)
     
  • OURO

    1.809,80
    -2,50 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    23.068,63
    -366,33 (-1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    536,37
    -20,98 (-3,76%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,13 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.492,52
    +4,37 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.064,75
    +33,25 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2626
    +0,0299 (+0,57%)
     

Bolsonaro antecipa ida à Fiesp para 11 de agosto

*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  06-07-2022, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro recebe os atletas que representaram o Brasil na 19ª edição da Gynminasíade, competição realizada na França esse ano com estudantes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 06-07-2022, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro recebe os atletas que representaram o Brasil na 19ª edição da Gynminasíade, competição realizada na França esse ano com estudantes. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) antecipou de 12 para 11 de agosto a participação dele na rodada de encontros com candidatos à Presidência promovida pela Fiesp (federação das indústrias de São Paulo).

Com isso, o evento será realizado no mesmo dia em que serão lidos dois manifestos contra os ataques que ele tem feito às urnas eletrônicas e ao sistema eleitoral. A Fiesp participa de uma das iniciativas.

A entidade tem realizado encontros com os presidenciáveis para discutir as "diretrizes prioritárias" para o governo federal nos próximos quatro anos. O ex-presidente Lula (PT), por exemplo, estará na sede da federação no dia 9.

Já participaram do encontro Ciro Gomes (PDT), Luiz Felipe D´Ávila (Novo) e Simone Tebet (MDB) –ela, nesta segunda-feira (1º).

A campanha do presidente não apresentou justificativa para a mudança de data.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que o manifesto pela democracia endossado pela entidade é claramente contra ele. "Uma nota política eleitoral que nasceu lamentavelmente na Fiesp em São Paulo. Se não tivesse o viés político nessa nota, eu assinaria", afirmou.

O presidente também tem entre os compromissos do dia em São Paulo um jantar com empresários organizado pelo grupo Esfera Brasil.

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, Bolsonaro deve ser convidado na Fiesp a assinar o manifesto em defesa da democracia encabeçado pela instituição, como já fizeram outros presidenciáveis.

Os encontros com candidatos estão sendo realizados na sede da Fiesp, e os políticos foram convidados a participar de um diálogo com diretores, conselheiros, sindicatos e associados das entidades sobre propostas para o Brasil.

Com os dois encontros, o presidente cria uma espécie de contraponto ao evento de divulgação da "Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado democrático de Direito", que nasceu a partir de um grupo de ex-alunos da Faculdade de Direito da USP e será lido no Largo de São Francisco. Esse texto já conta com mais de 500 mil assinaturas.

O manifesto será lido em 11 de agosto, após a divulgação de um segundo documento, organizado por empresariais e associações, intitulado "Em Defesa da Democracia e da Justiça".

As iniciativas pró-democracia ganharam força após o presidente realizar, em 18 de julho, encontro com embaixadores lotados em Brasília para expor mentiras acerca das urnas e do processo eleitoral, repetindo argumentos já descartados após sua exposição em uma live no ano passado.

De acordo com pesquisa Datafolha feita entre quarta (27) e quinta-feira (28), 47% da população diz confiar muito na urna eletrônica, enquanto 32% afirmam confiar um pouco —o que gera um índice de credibilidade de 79% para o sistema, segundo o instituto. Outros 20% responderam que não confiam nas urnas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos