Mercado fechará em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    113.065,38
    -1.582,61 (-1,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.718,50
    -79,88 (-0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,04
    +0,76 (+0,92%)
     
  • OURO

    1.764,70
    -3,60 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    61.940,37
    +926,39 (+1,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.446,97
    -4,66 (-0,32%)
     
  • S&P500

    4.468,04
    -3,33 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    35.201,35
    -93,41 (-0,26%)
     
  • FTSE

    7.192,47
    -41,56 (-0,57%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.138,50
    +4,00 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4097
    +0,0059 (+0,09%)
     

Bolsonaro é recebido por manifestantes ao chegar para jantar oficial

·1 minuto de leitura

NOVA YORK — O presidente Jair Bolsonaro sorriu e fez um gesto de “abafa” com a mão, como se pedisse que baixassem o tom, a manifestantes que o aguardavam na noite desta segunda-feira diante da residência oficial do embaixador do Brasil junto à ONU, em Nova York. Bolsonaro chegou ao local por volta de 20h10, pelo horário de Brasília, onde foi oferecido um jantar em sua homenagem.

Mais cedo, um dos filhos do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro, foi vaiado ao entrar numa loja da Apple na 5ª Avenida, conforme publicou o colunista Ancelmo Gois (veja o vídeo).

Alguns ministros o acompanharam no evento, que faz parte da agenda oficial da visita à Nova York por causa da Assembleia Gera das Nações Unidas. Usando um tambor, o grupo gritava “Bolsonaro, pode esperar, a sua hora vai chegar” e “genocida”. Havia ainda um caminhão com telões que exibem imagens de Bolsonaro cercado por chamas e as frases em inglês “cadeia para Bolsonaro” e “Bolsonaro está queimando a Amazônia”, dentre outras.

O caminhão faz parte de uma ação promovida por ativistas brasileiros e americanos e vai percorrer pontos famosos da cidade até esta terça-feira. Nessa segunda, o veículo passou por pontos como Times Square, World Trade Center e Wall Street.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, que já havia entrado na residência, saiu novamente para gravar um vídeo dos manifestantes enquanto os provocava, dizendo que aquilo era democracia. Ao deixar o local da recepção, pouco antes das 22h, pelo horário de Brasília, Bolsonaro foi novamente hostilizado pelos manifestantes e respondeu acenando, sem fazer declarações — ele ainda gravou um vídeo no local.

Uma pessoa que estava no jantar e saiu com Bolsonaro ficou dando tchauzinho pros manifestantes. A pessoa estava de máscara.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos