Bolsas em NY e Petrobras levam Bovespa à queda

A Bovespa até que tentou encerrar em alta, mas o desempenho negativo das bolsas em Nova York, em razão dos temores sobre a questão do abismo fiscal, ditou a volatilidade no índice acionário doméstico que terminou o dia em queda. Além disso, o forte recuo dos papéis da Petrobras também contribuiu para a performance do Ibovespa.

O Ibovespa encerrou com baixa de 0,08%, aos 60.959,79 pontos. Com isso, o ganho no mês passou para 6,06% e, no ano, para 7,41%. Na mínima, o índice atingiu 60.861 pontos (-0,24%) e, na máxima, 61.322 pontos (+0,52%). O giro financeiro limitou-se a R$ 4,738 bilhões. Os dados são preliminares.

O operador de uma grande corretora paulista lembrou que a maior parte dos negócios no mercado acionário já foi realizada e que agora as corretoras estão trabalhando em esquema de plantão, ou seja, com negócios reduzidos e ajustes de última hora. "A Bolsa não deve ter fôlego para se afastar do atual nível", afirmou. O profissional, no entanto, ponderou que se algo, de fato, acontecer nos Estados Unidos sobre a questão fiscal, o Ibovespa ainda pode ter algum rali para o "bem ou para o mal".

Nos EUA, o Congresso e a Casa Branca têm até o fim do mês para chegar a algum acordo para evitar o abismo fiscal no país - uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos automáticos que entrarão em vigor no começo do ano que vem caso não haja acordo. O presidente norte-americano, Barack Obama, interrompeu suas tradicionais férias de fim de ano no Havaí para retornar a Washington, onde pretende retomar as negociações na quinta-feira (27).

O impasse impediu o avanço das bolsas em Nova York, e a Bovespa acompanhou a performance negativa. No caso da Bolsa doméstica, também pesou o recuo de mais de 3% nos papéis da Petrobras. Segundo profissionais, o recuo reflete a possibilidade de a gasolina ser reajustada em 6% em 2013, porcentual que foi considerado insatisfatório pelo mercado. O papel ON registrou declínio de 3,30% e o PN recuou 3,04%.

No final de semana, a presidente da estatal, Graça Foster, voltou a defender um reajuste dos combustíveis em 2013. E disse que há uma diferença de 4% no diesel e de 6% na gasolina. "Isso não é o aumento. É a diferença que pode ser dada de uma vez só ou em longas etapas (até 2016). Essa parte não tem dia nem hora para ser dada", disse.

Por outro lado, Vale e siderúrgicas se mantiveram em alta e impediram um recuo maior da Bolsa. O papel ON da mineradora encerrou com ganho de 0,67% e o PNA subiu 0,47%. Entre as siderúrgicas, Gerdau PN avançou 1,12%, Gerdau Metalúrgica PN (+0,54%), Usiminas PNA (+1,74%) e CSN ON (+0,43%).

Carregando...