Mercado fechado

Bolsas de NY fecham sem direção única de olho em dados do mercado de trabalho

André Mizutani e Gabriel Roca

Os índices acionários de NY interromperam o rali desta semana, com os investidores à espera dos dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos, o chamado "payroll" Os índices acionários de Nova York fecham sem direção única nesta quinta-feira (4) e interrompem o rali desta semana, com os investidores reavaliando a força da recuperação do mercado de ações, antes dos cruciais dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos, o chamado "payroll", que serão divulgados nesta sexta (5).

O Dow Jones fechou em leve alta de 0,05%, a 26.281,82 pontos, virando para terreno positivo nos minutos finais da sessão. O S&P 500 recuou 0,34%, a 3.112,35 pontos, enquanto o Nasdaq caiu 0,69%, a 9.615,81 pontos.

Os dados de pedidos iniciais de seguro-desemprego, divulgados hoje, continuam indicando uma melhora das condições, mas ainda num cenário bastante negativo, fazendo o mercado acionário pausar o rali recente e realizar alguns lucros. Agora, os investidores aguardam a divulgação do relatório do "payroll" de amanhã.

"Há algum questionamento de quão longe esse rali pode ir", disse Brad McMillan, chefe de investimentos da Commonwealth Financial Network, à Dow Jones Newswires. "De uma perspectiva mais dura, ainda há muito com que se preocupar, mas de uma perspectiva mais otimista, vemos a pandemia sob controle e nenhum sinal de uma segunda onda [de infecções] por enquanto."

Apesar da pausa desta quinta, o S&P 500 e o Dow Jones seguem em vias de fechar a sua terceira semana consecutiva de ganhos, o que seria a maior sequência de ganhos semanais para ambos os índices neste ano. Com os ganhos de 2,2% do S&P na semana, o índice acumula perdas de menos de 4% no ano.

Repetindo o mesmo comportamento visto no resto da semana, os ganhos desta quinta no S&P 500 foram encabeçados pelos setores industrial (+1,05%) e financeiro (+1,97%), com oito dos 11 setores encerrando a sessão em terreno negativo.

EUA x China

No entanto, novas tensões parecem estar surgindo entre Estados Unidos e China, outro fator que contribui para a piora no humor dos mercados.

De acordo com a agência Reuters, em um discurso, hoje, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, alertará os investidores dos EUA sobre práticas contábeis "fraudulentas" de empresas chinesas e instará as bolsas de valores a restringir regras às companhias da China.

As observações serão feitas no momento em que o Congresso está analisando uma legislação que impediria as empresas chinesas de levantar dinheiro nos EUA, a menos que se submetessem aos procedimentos contábeis do país.

Um projeto de lei foi aprovado no Senado e apresentado na Câmara. Pompeo apontará medidas da Nasdaq para aumentar as restrições às ofertas públicas iniciais, depois que acusações de fraude contra a Luckin Coffee Inc. (LK) fizeram com que as ações negociadas nos EUA, da cadeia de café chinesa, caíssem 90% no ano.

Jay Clayton, o presidente da SEC — o similar à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA —, alertou, em abril, que os investidores "deveriam considerar os riscos" relacionados à incapacidade dos órgãos reguladores dos EUA de supervisionar auditorias de empresas chinesas listadas em bolsa.