Bolsas de NY fecham próximas das máximas históricas

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta terça-feira, se aproximando das máximas históricas, ajudadas pelo noticiário corporativo e pelo aumento no índice de expectativas econômicas da Alemanha. O índice Nasdaq fechou no nível mais alto desde 8 de novembro de 2000, enquanto o Dow Jones alcançou o maior nível desde 12 de outubro de 2007.

O índice Dow Jones ganhou 53,91 pontos (0,39%) e fechou a 14.035,67 pontos. O Nasdaq avançou 21,56 pontos (0,68%), fechando a 3.213,59 pontos. E o S&P 500 teve alta de 11,15 pontos (0,73%), encerrando a sessão a 1.530,94 pontos.

"Ainda não tivemos um catalisador. Esse mercado, na falta de notícias ruins, quer subir", afirmou Randy Frederick, da corretora Charles Schwab.

Dentre outras notícias corporativas, as bolsas foram impulsionadas pela reação a uma reportagem do Wall Street Journal, que afirmou que a OfficeMax e a Office Depot estão em negociações avançadas de fusão. As ações da OfficeMax avançaram 21% e as da Office Depot subiram 9,9% com a notícia.

Até agora, neste ano, US$ 160,05 bilhões em acordos de fusões e aquisições foram anunciados, o maior valor para o período desde 2005. "As empresas estão começando a mover o dinheiro que se acumulou na última década", disse Greg Peterson, diretor de investimentos da Ballentine Partners. "As companhias estão ganhando confiança e isso pode apoiar a cicatrização da economia."

Outro destaque corporativo da sessão veio das ações do Google, que subiram 1,6% e ultrapassaram a barreira de US$ 800,00 pela primeira vez, em meio à renovada confiança na capacidade da companhia de continuar registrando bons lucros com sua dominância na área de busca na internet e a presença cada vez maior no mercado de celulares. A alta das ações do Google também pode ser interpretada como um voto de confiança ao cofundador da companhia, Larry Page, que assumiu o posto de executivo-chefe em abril de 2011. Desde lá, o papel acumula alta de quase 35%.

As ações da Dell operaram perto da estabilidade durante a sessão, mas sobem 0,25% no after hours após a companhia anunciar lucro líquido de US$ 530 milhões no quarto trimestre de 2012. No entanto, o lucro foi 31% menor do que no trimestre anterior e a empresa registrou queda no lucro nos últimos cinco trimestres.

A Rival Staples liderou os ganhos do S&P com alta de 13%. Já as ações da seguradora de saúde Humana despencaram 6,2%, maior declínio entre os componentes do S&P, após uma agência do governo propor reembolsar as empresas de seguro pelo Medicare Advantage, plano de saúde para idosos, com uma taxa menor do que a esperada. A UnitedHealth caiu 1,1% e a Cigna recuou 0,9%.

Na Europa, o destaque foi a alta do índice de expectativas econômicas da Alemanha, que ampliou o avanço verificado nos últimos meses e refletiu os riscos menores para a economia do país. Segundo o instituto de pesquisa econômica ZEW, o índice de expectativas econômicas avançou para 48,2, de 31,5 em janeiro. O resultado, o maior nível desde abril de 2010, ficou bem acima da expectativa dos analistas, que esperavam alta do indicador para 35,0. O indicador impulsionou as bolsas europeias, que fecharam em forte alta. As informações são da Dow Jones.

Carregando...