Bolsas de NY fecham em leve queda após sessão volátil

As bolsas de Nova York fecharam em leve queda nesta terça-feira, após uma sessão volátil influenciada mais uma vez pelas negociações para evitar o chamado abismo fiscal. Em um dia sem indicadores importantes na agenda, muitos participantes preferiram ficar fora do mercado, evitando assumir riscos.

O índice Dow Jones perdeu 13,82 pontos (0,11%) e fechou a 12.951,78 pontos. O Nasdaq recuou 5,51 pontos (0,18%), fechando a 2.996,69 pontos. E o S&P 500 teve retração de 2,41 pontos (0,17%), fechando a 1.407,05 pontos.

O impasse entre democratas e republicanos sobre como reduzir o déficit orçamentário continua no foco dos investidores. Na noite de ontem a Casa Branca rejeitou a contraproposta apresentada pela oposição. Os republicanos propuseram US$ 800 bilhões em aumento nas receitas, metade do valor proposto pelo presidente Barack Obama, e isso só seria feito por meio de uma reforma fiscal, possivelmente adiando qualquer aumento de impostos.

Hoje Obama disse em uma entrevista para a emissora de televisão Bloomberg que a contraproposta apresentada pelos republicanos não é suficiente e não vai elevar as receitas do governo de modo a reduzir o déficit orçamentário em US$ 4 trilhões ao longo da próxima década. Mesmo assim ele afirmou que "há potencial para se obter um acordo". Ele explicou que está disposto a aceitar novos cortes nos gastos com programas sociais e disse saber que não vai "conseguir 100%" do que propõe.

A proposta republicana, endossada pelo presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, enfrentou resistência dentro do próprio partido. O líder dos republicanos no Senado, Mitch McConnell, se recusou hoje a apoiar explicitamente o plano de Boehner. Questionado se aprovava o projeto, ele simplesmente elogiou os deputados republicanos por tentar avançar com as negociações.

Na agenda de indicadores, o único dado relevante foi o índice de condições empresariais de Nova York, medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês), que subiu para 52,5 em novembro, indicando expansão da atividade.

Na Europa, o grupo dos ministros de Finanças da União Europeia (Ecofin) se encontrou hoje em Bruxelas para discutir a criação de um supervisor bancário único na UE, mas não houve acordo. Uma nova reunião deverá ser realizada no próximo dia 12. Segundo o ministro de Finanças da Itália, Vittorio Grilli, as posições dos membros da UE sobre o formato de um supervisor bancário único são convergentes, mas ainda existem diferenças. Além disso, a UE aprovou formalmente a extensão de dois anos para o programa de ajuste fiscal da Grécia, segundo informou uma fonte do bloco.

Entre os setores do S&P 500, as quedas foram puxadas pelas empresas de telecomunicação, serviços públicos e bancos. As ações da Verizon recuaram 0,98%, a AT&T perdeu 0,64% e o JPMorgan teve desvalorização de 0,59%. Já o setor tecnológico registrou ganhos, com destaque para Hewlett-Packard (+5,13%) e Intel (+2,20%).

Os papéis da MetroPCS perderam 7,52%, após relatos de que a Sprint Nextel provavelmente não fará uma oferta para adquirir a companhia, como alguns investidores esperavam. As ações da Sprint, por sua vez, encerraram a sessão com queda de 0,70%.

Já a Baxter International perdeu 0,88%. Hoje a empresa anunciou a compra da fabricante de equipamentos médicos suíça Gambro por US$ 4 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Carregando...