Bolsas de NY fecham quase estáveis após dia volátil

As Bolsas de Nova York fecharam em direções divergentes nesta quinta-feira, após uma sessão volátil em um dia com indicadores econômicos divergentes. O ânimo dos investidores foi prejudicado pela contração maior do que a esperada na economia da zona do euro no quarto trimestre do ano passado.

O índice Dow Jones perdeu 9,52 pontos (-0,07%), fechando a 13.973,39 pontos. O Nasdaq ganhou 1,78 ponto (+0,06%) e encerrou a 3.198,66 pontos. E o S&P 500 avançou 1,05 ponto (+0,07%), terminando a sessão a 1.521,38 pontos.

Os dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB) divulgados na Europa decepcionaram os mercados. O PIB da zona do euro teve contração de 0,6% no quarto trimestre de 2012, em comparação com o terceiro trimestre, mais do que a queda de 0,4% prevista. Este também foi o pior resultado desde o primeiro trimestre de 2009. Na Alemanha, a maior economia do bloco, o PIB encolheu 0,6%, também mais do que a estimativa de -0,5%. A Itália, por sua vez, registrou declínio pelo sexto trimestre consecutivo, o que só havia ocorrido uma vez na história do país após a Segunda Guerra Mundial - durante a crise cambial de 1992 e 1993. França, Portugal e Grécia também informaram contração no PIB no quarto trimestre do ano passado.

Nos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu para 341 mil na semana até 9 de fevereiro, um resultado melhor do que a queda para 360 mil esperada pelos economistas. Na semana anterior, o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego diminuiu para 3,114 milhões, o menor nível desde julho de 2008. No entanto, houve quem destacasse o fato de que os dados podem ter sido influenciados pela forte tempestade de neve que atingiu a região nordeste dos EUA no período.

No noticiário corporativo, as ações da H.J. Heinz dispararam 19,87%, após a notícia de que a empresa concordou em ser adquirida pela gestora de fundos Berkshire Hathaway e pelo fundo de private equity 3G Capital, que é controlado por brasileiros, por US$ 28 bilhões. Já os papéis da Constellation Brands ganharam 37,23%, depois de notícias de que a empresa comprará da AB InBev os direitos perpétuos das marcas Corona e Modelo nos EUA por US$ 2,9 bilhões.

As ações da US Airways caíram 4,57%, depois do anúncio do acordo para a fusão com a AMR, controladora da American Airlines. Já empresas de energia tiveram um bom desempenho, com destaque para Halliburton (+6,07%), Nabors Industries (+4,43%), Alpha Natural Resources (+13,90%) e Peabody Energy (+4,51%).

Entre empresas que divulgaram balanços, a Cisco Systems caiu 0,71%, GM recuou 3,21% e PepsiCo avançou 1,09%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...