Bolsas de NY fecham em alta após dados positivos nos EUA

As bolsas de Nova York fecharam em leve alta nesta quarta-feira, após indicadores positivos nos EUA e comentários da Alemanha sobre a liberação da ajuda para a Grécia. Entre os destaques de alta estão as ações da Hewlett-Packard, assim como outras empresas de tecnologia.

O índice Dow Jones ganhou 48,38 pontos (0,38%), fechando a 12.836,89 pontos. O Nasdaq avançou 9,87 pontos (0,34%) e fechou a 2.926,55 pontos. E o S&P 500 teve alta de 3,22 pontos (0,23%), fechando a 1.391,03 pontos. Os volumes de negociação ficaram abaixo do normal, em função do feriado de Ação de Graças, que manterá os mercados fechados nesta quinta-feira. Na sexta-feira o pregão será reduzido.

Hoje, o Departamento do Trabalho divulgou que o número de trabalhadores norte-americanos que pediram auxílio-desemprego diminuiu 41 mil, para 410 mil, na semana até 17 de novembro, em linha com as previsões. Também foi uma boa notícia a ligeira alta do índice de sentimento do consumidor norte-americano, medido pela Reuters/Universidade de Michigan, para 82,7 na leitura final de novembro, de 82,6 em outubro, embora tenha ficado abaixo da previsão de 83,5.

Já a provedora de dados Markit informou que o índice de atividade dos gerentes de compra (PMI) do setor industrial dos EUA subiu para 52,4 na leitura preliminar de novembro, e o Conference Board anunciou que o índice de indicadores antecedentes aumentou 0,2% em outubro.

No entanto, Wall Street ainda sofre pressão da questão do "abismo fiscal", o que limitou os ganhos das bolsas. Na terça-feira, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmou que o banco central dos EUA não tem ferramentas para isolar a economia norte-americana dos efeitos que os cortes de gastos e aumentos de impostos podem ter caso realmente sejam implementados automaticamente em janeiro.

Na Europa, a crise da Grécia esteve novamente no centro das atenções, depois de o Eurogrupo e o Fundo Monetário Internacional (FMI) não conseguirem chegar a uma conclusão sobre o fornecimento da nova parcela de ajuda ao país. Uma nova reunião foi marcada para a próxima segunda-feira.

A reação à má notícia, porém, foi contida pelos sinais emitidos pela Alemanha. Em uma reunião a portas fechadas com parlamentares alemães, a chanceler Angela Merkel teria afirmado que taxas de juros mais baixas e uma expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF), calculada em 10 bilhões de euros, poderiam preencher o rombo de financiamento grego. Além disso, Merkel disse que existem chances de um acordo ser fechado na segunda-feira, embora isso ainda não esteja certo.

No noticiário corporativo, as ações da HP fecharam em alta de 1,96%, após a queda de 12% ontem. A companhia acusou a empresa de software britânica Autonomy, que havia adquirido no ano passado por mais de US$ 10 bilhões, de fraudes sérias que a levaram a contabilizar uma baixa contábil de US$ 8,8 bilhões. Segundo a HP, a Autonomy deu informações errôneas sobre seu desempenho quando a aquisição estava sendo negociada.

Outras empresas do setor tecnológico também tiveram um desempenho positivo, como a Microsoft (+0,90%) e a Apple (+0,14%). A Salesforce.com subiu 8,83%, após divulgar um balanço trimestral que superou as estimativas dos analistas. Já a fabricante de maquinário agrícola John Deere teve queda de 3,67%, depois de informar que seu lucro líquido subiu 2,7% no quarto trimestre fiscal, para US$ 687,6 milhões, ficando abaixo das previsões.

Grandes varejistas também fecharam com ganhos, às vésperas da Black Friday, a principal data para o comércio americano. Hoje, a rede Macy's tocou o sino de abertura da sessão na Bolsa de Nova York, para marcar o início de suas promoções para vendas do final do ano. Suas ações encerraram o pregão com valorização de 0,59%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...