Mercado fechado

Bolsas de NY devolvem parte das perdas da véspera com aceno da China

Valor

Pequim interrompeu sequência de declarações combativas ao mostrar que ainda está aberta a um acordo comercial parcial Os índices acionários de Nova York operam em alta nesta quarta-feira, com os investidores reajustando posições após as fortes perdas da véspera, enquanto reavaliam as perspectivas em torno das negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que serão retomadas amanhã em Washington.

Por volta de 12h10, o Dow Jones operava em alta de 0,42%, a 26.274,35 pontos, enquanto o S&P 500 subia 0,58%, a 2.909,90 pontos, e o Nasdaq avançava 0,74%, a 7.881,97 pontos. Os três índices devolvem hoje quase metade das perdas acentuadas de ontem.

Invertendo o que aconteceu na véspera - quando todos os 11 setores do S&P 500 fecharam em queda -, hoje os ganhos são generalizados no índice amplo de Wall Street. Mas os avanços são mais modestos, com apenas um dos setores - o de tecnologia - subindo mais de 1%, operando há pouco em alta de 1,19%.

As ações da gigante industrial Caterpillar, que tem forte exposição à China e é vista como um barômetro das tensões comerciais, subiam 0,73% há pouco. Ontem, as ações da companhia recuaram 1,90%, prejudicadas pelas preocupações sobre o rumo das negociações.

Depois de um recrudescimento das tensões entre as duas maiores economias do mundo nos últimos dias, Pequim interrompeu a sequência de declarações combativas ao dizer, mais cedo, que ainda está aberta a "um acordo comercial parcial", de acordo com uma matéria da agência Bloomberg.

Analistas esperam que a China anuncie um aumento das compras de produtos agrícolas americanos, mas a perspectiva de um acordo comercial mais amplo, capaz de resolver as tensões entre os dois países, é fraca.

A escalada de tensões começou na noite de segunda-feira, com a inclusão de 28 companhias chinesas em uma lista negra de importações, como resposta à perseguição contra a minoria muçulmana dos uigures. Ontem, os americanos anunciaram também restrições a vistos de autoridades supostamente envolvidas com abusos contra a minoria uigur.

Os índices também recebem algum suporte dos comentários do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, que disse ontem que o BC americano anunciará "em breve" planos para elevar gradativamente o volume de compras de Treasuries. Os investidores aguardam hoje a ata da última reunião do Fed, mas os analistas apontam que a situação mudou bastante desde o meio de setembro.

"O que a ata do Fed mostrará provavelmente será informação velha", disse Jordan Rochester, estrategista de câmbio do Nomura, à Dow Jones Newswires. "Os dados pioraram desde que eles tiveram a discussão. Desde os dados fracos da manufatura mais recentemente, eles abrandaram o tom", disse. A ata será divulgada às 15h (horário de Brasília).