Bolsas em NY devem subir em dia de eleição nos EUA

As bolsas de Nova York devem abrir em alta nesta terça-feira, quando os eleitores dos Estados Unidos escolhem entre o democrata Barack Obama e o republicano Mitt Romney. Sem indicadores econômicos na agenda, alguns balanços corporativos positivos animam os investidores. Às 12h15 (pelo horário de Brasília), o índice Dow Jones futuro subia 0,25%, o Nasdaq avançava 0,46% e o S&P 500 tinha alta de 0,34%.

O resultado da eleição presidencial nos EUA provavelmente só será conhecido no fim do dia ou no início da madrugada de quarta-feira (07). Investidores esperam que a decisão não seja atrasada, como ocorreu em 2000, na disputa entre o republicano George W. Bush e o democrata Al Gore. As últimas pesquisas de opinião indicam uma disputa apertada, embora Obama tenha uma pequena vantagem sobre Romney em alguns dos chamados "Estados indecisos", como Iowa.

"As pesquisas também sugerem que o Congresso continuará dividido, com os democratas no controle do Senado e os republicanos com a maioria na Câmara", comentam em nota os analistas da Danske Research. "A maior preocupação nos mercados financeiros é que o Congresso não seja capaz de chegar a um acordo para amenizar o impacto do 'abismo fiscal' no começo do ano que vem", acrescentam.

Segundo analistas, existe um certo sentimento de alívio com o fato de o dia da eleição finalmente ter chegado, após uma longa e tumultuada campanha. Na segunda-feira (05), as bolsas de Nova York fecharam em alta modesta, com os investidores evitando assumir grandes posições antes da eleição. Na agenda de indicadores econômicos, o único dado relevante nesta terça-feira é o relatório do American Petroleum Institute (API) sobre os estoques semanais de petróleo.

No horário citado acima das bolsas europeias operavam em leve alta, em um dia de baixo volume de negociação. Na Grécia, manifestantes estão tomando as ruas de Atenas em meio a protestos contra medidas de austeridade, um dia antes de o Parlamento votar um novo pacote de cortes de gastos. Já o primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, afirmou em entrevista a uma rádio que antes de decidir sobre um possível pedido de ajuda da União Europeia, é preciso saber quanto diminuiriam os custos dos empréstimos para o país caso houvesse uma intervenção do Banco Central Europeu (BCE).

No noticiário corporativo, as ações da AOL subiam 3,04% no pré-mercado. A companhia divulgou nesta terça-feira que teve lucro líquido de US$ 20,8 milhões (US$ 0,22 por ação) no terceiro trimestre deste ano, ante um prejuízo de US$ 2,6 milhões (-US$ 0,02 por ação) no mesmo período do ano passado. A receita ficou estável, em US$ 531,7 milhões. Analistas ouvidos pela Thomson Reuters esperavam lucro de US$ 0,17 por ação e receita de US$ 522 milhões.

Já os papéis da Zillow despencavam 15,33%, após a companhia de informações sobre o mercado imobiliário divulgar seu balanço do terceiro trimestre. O lucro veio em linha com as estimativas, mas a receita ficou abaixo do esperado e a empresa fez um projeção decepcionante para o resultado do quarto trimestre. As informações são da Dow Jones.

Carregando...