Bolsas de NY devem abrir em leve alta

As bolsas de Nova York devem abrir em leve alta, apontam os índices futuros, enquanto os investidores aguardam o testemunho do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, e uma agenda cheia de indicadores econômicos, que inclui números da confiança do consumidor, setor imobiliário e atividade industrial.

Às 11h15 (de Brasília), o índice Futuro Dow Jones subia 0,38%, O S&P 500 tinha alta de 0,52% e o Nasdaq avançava 0,32%.

Bernanke fará seu testemunho semestral sobre a política monetária, às 12h (de Brasília), no Comitê Bancário do Senado. Segundo analistas ele poderá tentar acalmar os temores de que o Fed possa cortar seu programa de compras de ativos, após a ata da última reunião de política monetária do banco central mostrar que os membros da instituição discutiram claramente o fim do relaxamento.

Além disso, no mesmo horário, o Comitê de Finanças do Senado votará sobre a nomeação de Jack Lew para comandar o Departamento do Tesouro. O Senado pode votar também nesta terça-feira propostas de democratas e republicanos para evitar cortes automáticos de gastos que entram em vigor na sexta-feira.

Na agenda de indicadores econômicos, dois relatórios foram divulgados antes da abertura dos mercados. O índice de preços de moradias 20 cidades nos EUA subiu 6,8% em dezembro, ante previsão dos analistas de alta de 6,6%, segundo a pesquisa S&P/Case-Shiller. O índice de preços de moradias 10 cidades aumentou 5,9% em dezembro.

A Agência Federal de Financiamento Imobiliário (FHFA, na sigla em inglês) disse, em um relatório separado, que o índice de preços de moradias subiu 0,6% em dezembro, na comparação com novembro.

Também estão previstos para esta terça o anúncio das vendas de moradias novas em dezembro, o índice de confiança do consumidor, medido pelo Conference Board, e o índice de atividade industrial regional do Fed de Richmond, todo às 12h (de Brasília), e o relatório dos estoques de petróleo do American Petroleum Institute (API), às 18h30 (de Brasília).

Os ganhos dos índices futuros em Nova York ocorrem um dia depois de uma onda de vendas forte percorrer os mercados mundiais, desencadeada pelos resultados inconclusivos das eleições italianas que provocaram temores renovados de instabilidade política na zona do euro. Às 11h15 (de Brasília), os principais mercados da Europa recuavam, conduzidos pela Bolsa de Milão, com queda de 3,83%. Londres caía 1,12%, Frankfurt perdia 1,52% e Paris perdia 1,68%.

Entre os destaques corporativos aparecem as ações da Home Depot que subiam 2,60% no pré-mercado. A companhia anunciou um alta de 32% do lucro no quarto trimestre fiscal, conduzida pelo aumento das vendas, para US$ 1,02 bilhão, ou US$ 0,68 a ação, do lucro de US$ 774 milhões um ano antes, ou US$ 0,50 por ação. Os analistas entrevistados pela Thomson Reuters tinham previsto um lucro por ação de of US$ 0,64.

A Macy's também divulgou balanço que mostrou uma queda de 2% do lucro no quarto trimestre do ano passado, para US$ 730 milhões, ou US$ 1,83 por ação, do lucro de US$ 745 milhões, ou US$ 1,74 por ação, no mesmo período de 2011, devido a despesas com liquidação de dívida. A companhia previu um lucro por ação para o ano de entre US$ 3,90 a US$ 3,95, acima das previsões dos analistas entrevistados pela Thomson Reuters de lucro de US$ 3,81 por ação. Os papéis da Macy's avançavam 4,10% no pré-mercado. As informações são da Dow Jones.

Carregando...